Pular para o conteúdo
Home » Jornal do Campo » semana encurtada pelo feriado nacional retira liquidez do mercado físico • Portal DBO

semana encurtada pelo feriado nacional retira liquidez do mercado físico • Portal DBO

    Mercado do boi gordo segue pressionado para baixo, aponta Agrifatto • Portal DBO

    Nesta quarta-feira, véspera do feriado de 7 de setembro, o mercado brasileiro de bovinos gordos registrou movimento inexpressivo na compra e venda de bovinos gordos, informa o Insights globais de commodities da S&P.

    De dentro dos portões, diz a consultoria, constatou-se que o volume de gado gordo disponível nas propriedades é escasso, devido aos avanços nas negociações observados nas últimas semanas.

    Segundo analistas, a margem apertada na venda de bovinos confinados (ou instalados em baias) dificulta um movimento mais consistente de alocação de animais terminados no cocho nestes últimos meses de 2023.

    Do lado da demanda, os frigoríficos brasileiros têm cronogramas de abate que atendem minimamente aos seus compromissos de curtíssimo prazo, abstendo-se, em quase todos os casos, de compras de matéria-prima no mercado spot, informa o S&P Global.

    Mercado Pecuário | Reduzir a entrega de animais acabados pode ajudar a melhorar o preço da arroba; vídeo

    Os altos estoques nas câmaras frigoríficas também limitam novas inserções no mercado físico, pressionando a queda dos preços do boi gordo, acrescenta a consultoria.

    No Mato Grosso, responsável pelo maior rebanho bovino do país, os preços do boi gordo apresentaram novas quedas em alguns mercados importantes, informa o S&P Global.

    “Ainda há um grande desarranjo no quadro de oferta e demanda de gado gordo”diz a consultoria, referindo-se ao mercado mato-grossense.

    Em algumas praças brasileiras, segundo investigação de S&P Globalos preços do gado “comum” (destinado ao mercado interno) e do chamado “gado chinês (abatido mais jovem, com até 30 meses) estão mais alinhados, resultando, em alguns casos, na extinção momentânea dos prêmios para o arroba de animais com padrão de exportação.

    “Tal fator desincentiva a produção futura, mesmo diante de alta nos preços futuros (negociados na B3), que apresentaram correção devido às fortes perdas acumuladas (e não aumento da demanda)”dizem analistas da S&P Global.

    Segundo levantamento da Scot Consultoria, nesta quarta-feira, os preços dos animais acabados negociados no Estado de São Paulo ficaram estáveis.

    VEJA TAMBÉM | Abate de bovinos cresce 12,6% no 2º trimestre, aponta IBGE

    Uma vaca gorda de São Paulo está sendo negociada a R$ 195/@, uma vaca gorda a R$ 185/@ e uma novilha gorda a R$ 192/@ (preços bruto e futuro), segundo Scot.

    O “boi chinês” está cotado a R$ 200/@ em São Paulo, valor bruto, na hora, com prêmio de R$ 5/@ no animal “comum”, acrescenta Scot.

    Cotações máximas de homens e mulheres na quarta-feira, 6/9
    (Fonte: S&P Global)

    SP-Noroeste:

    carne bovina a R$ 199/@ (prazo)
    vaca a R$ 189/@ (prazo)

    MS-Ouro:

    bois a R$ 195/@ (à vista)
    vaga a R$ 175/@ (à vista)

    MS-C.Grande:

    carne bovina a R$ 197/@ (prazo)
    vaca a R$ 182/@ (prazo)

    MT-Cáceres:

    carne bovina a R$ 177/@ (prazo)
    vaca a R$ 158/@ (prazo)

    MT-Cuiabá:

    bois a R$ 175/@ (à vista)
    vaga a R$ 156/@ (à vista)

    Colisor MT:

    bois a R$ 170/@ (à vista)
    vaga a R$ 156/@ (à vista)

    GO-Goiânia:

    carne bovina a R$ 182/@ (prazo)
    vaca R$ 167/@ (prazo)

    GO-Sul:

    carne bovina a R$ 182/@ (prazo)
    vaca a R$ 167/@ (prazo)

    PR-Maringá:

    bois a R$ 192/@ (à vista)
    vaga a R$ 177/@ (à vista)

    Triângulo MG:

    carne bovina a R$ 197/@ (prazo)
    vaca a R$ 177/@ (prazo)

    MG-BH:

    carne bovina a R$ 187/@ (prazo)
    vaca a R$ 177/@ (prazo)

    BA-F. Santana:

    bois a R$ 185/@ (à vista)
    vaga a R$ 175/@ (à vista)

    Fronteira RS:

    bois a R$ 210/@ (à vista)
    vaga a R$ 195/@ (à vista)

    PA-Marabá:

    carne bovina a R$ 182/@ (prazo)
    vaca a R$ 167/@ (prazo)

    Resgate PA:

    carne bovina a R$ 184/@ (prazo)
    vaca a R$ 169/@ (prazo)

    PA-Paragomin:

    carne bovina a R$ 202/@ (prazo)
    vaca a R$ 187/@ (prazo)

    TO-Araguaína:

    carne bovina a R$ 187/@ (prazo)
    vaca a R$ 172/@ (prazo)

    RO-Cacoal:

    bois a R$ 170/@ (à vista)
    vaga a R$ 156/@ (à vista)

    MA-Açailândia:

    bois a R$ 175/@ (à vista)
    vaga a R$ 163/@ (à vista)

    A cópia integral do conteúdo acima não é permitida. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e link para o conteúdo completo. Plágio é crime segundo a Lei 9.610/98.
    DBO, há mais de 40 anos acompanhando e contribuindo para uma pecuária cada vez mais moderna e eficiente

    Jornal do campo
    Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão?

    Fonte
    Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?
    Escreva para nós nos comentários!

    Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo