Pular para o conteúdo

Boi Gordo: Preços Recuam em Março

    preços permanecem firmes no Brasil

    O mercado do boi gordo enfrenta desafios e oscilações

    O mercado físico do boi gordo está passando por um momento delicado, com quedas no preço da arroba preocupando produtores e investidores. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Iglesias, o cenário recente foi marcado por baixas constantes, especialmente devido ao alto volume de abates pelos frigoríficos.

    Pressão de oferta e recuperação tímida nos preços

    Apesar do panorama desafiador, Iglesias aponta que houve uma leve virada na última semana, com os pecuaristas conseguindo negociar preços um pouco mais favoráveis. No entanto, ele prevê que o segundo trimestre de 2024 será marcado pela pressão de oferta, principalmente entre maio e junho.

    Preços e tendências nas principais praças

    Nas principais praças de comercialização do país, como São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, os preços da arroba do boi gordo estão em constante movimento, refletindo as oscilações do mercado e a demanda interna e externa.

    Desempenho do mercado atacadista e exportações

    O mercado atacadista apresentou preços mistos ao longo de março, com destaque para a valorização dos cortes dianteiros do boi, impulsionados pela demanda mais firme. Enquanto isso, as exportações de carne bovina do Brasil tiveram um desempenho sólido, com crescimento no valor e na quantidade exportada, apesar da leve queda no preço médio.

    Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?



    Resumo do Mercado do Boi Gordo

    Sumário

    1. Mercado Físico do Boi Gordo

    – Quedas nos preços da arroba

    – Previsões para o segundo trimestre de 2024

    2. Preços da Arroba

    – Principais praças de comercialização

    – Variação dos preços em diferentes regiões do país

    3. Mercado Atacadista

    – Preços dos cortes dianteiros e traseiros

    – Impacto da demanda na valorização dos produtos

    4. Exportações

    – Dados sobre as exportações de carne bovina

    – Comparação com o mesmo período do ano anterior



    O mercado físico do boi gordo se aproxima do final de março amargando quedas no preço da arroba.

    De acordo com o analista de Safras & Mercado, Fernando Iglesias, o mercado de boi conviveu com mais um mês de quedas nas cotações, em meio ao bom posicionamento das escalas de abate por parte dos frigoríficos.

    Ele ressalta, contudo, que na última semana o quadro começou a virar, com o pecuarista cadenciando o ritmo de negócios e conseguindo alguma recuperação nos preços.

    Ainda assim, conforme Iglesias, o segundo trimestre de 2024 deverá ser pautado por um quadro de pressão de oferta, especialmente entre os meses de maio e junho.

    Os preços da arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do país estavam assim no dia 27 de março:

    • São Paulo (Capital) – R$ 225,00 a arroba, queda de 2,17% frente ao fechamento de fevereiro, de R$ 230,00.
    • Goiás (Goiânia) – R$ 215,00 a arroba, baixa de 1,38% ante o encerramento de fevereiro, de R$ 218,00.
    • Minas Gerais (Uberaba) – R$ 220,00 a arroba, retração de 4,38% frente aos R$ 230,00 praticados no final de fevereiro.
    • Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 220,00 a arroba, sem alterações ante o final de fevereiro.
    • Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 210,00 a arroba, inalterado frente ao final de fevereiro.

    Atacado

    Iglesias destaca que o mercado atacadista apresentou preços mistos ao longo de março. A demanda mais firme para os cortes dianteiros do boi, mais acessíveis a grande parcela da população, contribui para a valorização.

    O quarto dianteiro foi cotado em R$ 13,20 por quilo, alta de 3,12% frente aos R$ 12,80 praticados no final do mês passado.

    Já o quarto traseiro foi precificado a R$ 17,10 por quilo, recuo de 5,00% frente aos R$ 18,00 por quilo do final de fevereiro.

    Exportações

    As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 633,396 milhões em março (16 dias úteis), com média diária de US$ 39,587 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 139,942 mil toneladas, com média diária de 8,746 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.526,60.

    Em relação a março de 2023, houve alta de 52,1% no valor médio diário da exportação, ganho de 61,7% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 5,9% no preço médio.

    O mercado físico do boi gordo atravessa um cenário de queda nos preços

    Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Iglesias, o mercado de boi gordo vem enfrentando quedas nas cotações, devido ao bom posicionamento das escalas de abate pelos frigoríficos. No entanto, houve uma leve recuperação nos preços na última semana, com os pecuaristas conseguindo cadenciar o ritmo de negócios.

    Iglesias prevê que o segundo trimestre de 2024 será marcado por pressão de oferta, principalmente entre os meses de maio e junho.

    Confira os preços da arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do país em 27 de março:

    • São Paulo (Capital) – R$ 225,00 a arroba, queda de 2,17%
    • Goiás (Goiânia) – R$ 215,00 a arroba, baixa de 1,38%
    • Minas Gerais (Uberaba) – R$ 220,00 a arroba, retração de 4,38%
    • Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 220,00 a arroba
    • Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 210,00 a arroba

    Atacado

    O mercado atacadista apresentou preços mistos ao longo de março. A demanda firme para os cortes dianteiros do boi contribuiu para a valorização, com o quarto dianteiro cotado a R$ 13,20 por quilo e o quarto traseiro a R$ 17,10 por quilo.

    Exportações

    As exportações de carne bovina do Brasil renderam US$ 633,396 milhões em março, com uma média diária de US$ 39,587 milhões. A quantidade total exportada chegou a 139,942 mil toneladas, com um preço médio de US$ 4.526,60 por tonelada. Comparado a março de 2023, houve um aumento de 52,1% no valor médio diário das exportações, um ganho de 61,7% na quantidade média diária exportada e uma desvalorização de 5,9% no preço médio.

    Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

    Perguntas e Respostas

    1. Qual é a perspectiva para o mercado físico do boi gordo no final de março?

    No final de março, o mercado físico do boi gordo está amargando quedas no preço da arroba, mas houve sinais de recuperação.

    2. O que o analista de Safras & Mercado, Fernando Iglesias, destaca sobre o mercado de boi gordo?

    Iglesias destaca que o mercado de boi conviveu com mais um mês de quedas nas cotações, mas a situação começou a se reverter na última semana.

    3. Como estão os preços da arroba do boi gordo nas principais praças de comercialização do país em março?

    Nas principais praças, os preços da arroba do boi gordo estavam variando, com quedas em algumas regiões e estabilidade em outras.

    4. Qual é a situação do mercado atacadista em relação aos cortes de boi em março?

    O mercado atacadista apresentou preços mistos em março, com valorização dos cortes dianteiros e recuo dos cortes traseiros.

    5. Como foram as exportações de carne bovina do Brasil em março?

    Em março, as exportações de carne bovina do Brasil tiveram um desempenho positivo, com aumento no valor e na quantidade exportada em comparação ao ano anterior.

    Verifique a Fonte Aqui