Pular para o conteúdo

Colheita de milho no RS está próxima

    Plantio do milho no RS se encaminha para o final

    Atualização da Safra 2023/2024 no Rio Grande do Sul

    Pequena evolução na semeadura do milho e atualizações das culturas de inverno

    Novas projeções e estimativas para as principais culturas do Estado

    A Safra 2023/2024 no Rio Grande do Sul apresenta uma pequena evolução na semeadura do milho, abrangendo 79% da área planejada, enquanto alguns agricultores já planejam complementar a área estimada em safrinha. O desenvolvimento satisfatório das lavouras de milho é evidenciado pelo avanço das fases vegetativas e pela elevada produtividade potencial, apesar de desafios como chuvas excessivas e restrição de radiação solar.

    Além disso, as novas projeções para as culturas de inverno no Estado apresentaram resultados impactados por eventos climáticos adversos, como o fenômeno El Niño, resultando em reduções significativas na produtividade e na área cultivada do trigo, aveia branca, cevada e canola.

    Essas atualizações revelam um panorama desafiador, mas também apontam para a resiliência e o empenho dos agricultores em enfrentar as adversidades climáticas. Acompanhe o restante do artigo para mais detalhes sobre as projeções e estimativas para as principais culturas do Rio Grande do Sul.

    Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?

    Clima afeta plantio de milho, soja, feijão e arroz

    Situação da semeadura no Rio Grande do Sul

    • Evolução da semeadura do milho
    • Situação da soja
    • Andamento do plantio do feijão 1ª safra
    • Desenvolvimento do plantio do arroz

    Culturas de Inverno

    • Projeções iniciais e novas estimativas
    • Análise da safra de trigo
    • Desempenho da aveia branca
    • Resultados da safra de cevada
    • Dados da safra de canola

    Houve pequena evolução na semeadura do milho no Rio Grande do Sul, abrangendo 79% da área planejada no Estado, que é de 817.521 hectares para a Safra 2023/2024. Alguns agricultores já concluíram o plantio da safra principal e planejam complementar a área estimada em safrinha.

    De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado nesta quinta-feira (09/11) pela Emater/RS-Ascar, 75% das lavouras gaúchos estão em germinação e desenvolvimento vegetativo, 20% em floração e 5% em enchimento de grãos. A cultura continua a demonstrar desenvolvimento satisfatório, com plantas de estatura elevada, folhas largas e coloração verde intensa. Porém, nas folhas mais jovens, são observados sintomas de amarelecimento entre as nervuras, característicos da falta de luminosidade.

    Na região administrativa da Emater de Santa Rosa, 35% das lavouras estão em desenvolvimento vegetativo; a floração avançou para 51%; e em enchimento de grãos são 14%. A condição geral das lavouras é muito boa, e há elevado potencial produtivo, evidenciado pela coloração das plantas, sanidade, umidade no solo e estágios reprodutivos, que ocorrem sem maiores problemas. Contudo, há, em alguns municípios, redução na expectativa de produtividade em razão das chuvas excessivas e da ocorrência de chuva de granizo. Já na região de Soledade, as lavouras semeadas precocemente apresentam desenvolvimento vegetativo significativamente reduzido em virtude da restrição de radiação solar. Porém, as lavouras semeadas em outubro apresentam melhor potencial produtivo.

    Milho Silagem – Na região administrativa da Emater de Erechim, cerca de 60% da cultura encontra-se em estágio vegetativo, enquanto aproximados 30% estão no estágio de pendoamento/emborrachamento. As expectativas de produção são muito favoráveis, em decorrência da grande massa vegetal presente nas lavouras. Na região de Frederico Westphalen, 40% da área de cultivo está em estágio de germinação e desenvolvimento vegetativo; 50% em fase de floração; e 10% em fase de enchimento de grãos. As condições climáticas são favoráveis ao desenvolvimento, contudo algumas lavouras sofreram impactos negativos, decorrentes de chuvas intensas, acompanhadas de ventos e granizo. Esse cenário resultou em acamamento das plantas, que representará dificuldades no momento da colheita e de ensilagem da cultura.

    Soja – Ao iniciar novembro, que é o segundo mês do período recomendado para o plantio, de acordo com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), a semeadura ainda abrange uma parcela reduzida da área destinada ao cultivo. Apenas 13% da área planejada foi efetivamente semeada, devido à frequência das precipitações, que mantêm a umidade do solo acima dos níveis ideais para a operação, e devido à concentração das atividades finais da safra de inverno, em que se destaca a colheita de trigo.

    O processo de semeadura da soja foi priorizado em terrenos onde a quantidade de resíduos vegetais resultantes das culturas de inverno ou das plantas de cobertura é reduzida, o que acelera a diminuição da umidade superficial. No entanto, em função da ainda elevada umidade, observa-se maior revolvimento do solo, gerando dificuldades na uniformidade da deposição das sementes.

    Feijão 1ª Safra – O processo de semeadura ainda está em curso, e os níveis de estabelecimento das lavouras, variáveis. Em regiões onde se realiza a produção de uma segunda safra, a fase de plantio já foi concluída. Porém, na região Nordeste, em que há apenas uma única safra anual, o plantio continua em sua fase inicial e, na região Sul, que cultiva de forma escalonada, a semeadura se aproxima do terço final.

    Na região administrativa da Emater de Ijuí, a cultura do feijão 1ª safra encontra-se no estágio reprodutivo; aproximadamente 30% das plantações estão em fase de floração. As primeiras áreas de cultivo, que representam 70% da área total, já estão na etapa de desenvolvimento de vagens e grãos, exibindo promissor potencial produtivo. Os agricultores estão em constante monitoramento da presença de pragas e de doenças, e direcionam especial atenção para a aplicação de fungicidas.

    Arroz – O período de implantação da cultura continua, mas a área semeada evoluiu pouco, alcançando 71% da área projetada. As condições climáticas variadas – Leste do Estado mais seco e região Oeste com precipitações recorrentes – permanecem influenciando o progresso do plantio. Na região administrativa da Emater de Pelotas, as condições de tempo, caracterizadas por dias ensolarados e aumento das temperaturas, possibilitaram a continuação do processo de semeadura; 93% da área planejada para cultivo encontra-se semeada. Na de Soledade, a área semeada alcançou 80%. Apesar do significativo progresso da semeadura nas duas últimas semanas, o processo ainda se encontra atrasado, porque ainda há diversas áreas inacessíveis para as máquinas, em razão de alagamentos e da alta umidade do solo. Embora o sistema pré-germinado tenha facilitado as operações de plantio, o excesso de chuvas foi desafiador para o preparo de áreas secas.

    CULTURAS DE INVERNO – NOVAS PROJEÇÕES 

    Conforme a nova estimativa da Safra 2023, realizada na segunda quinzena de outubro pela Emater, a área efetivamente cultivada é de 1.986.491 hectares. A projeção inicial para a safra de inverno de 2023 no Rio Grande do Sul indicava uma área total de 1.973.903 hectares, representando um aumento de 0,64% nos cultivos. No entanto, as projeções para a produção inicial eram de 5.625.846 toneladas, abrangendo trigo, cevada, aveia branca e canola. Devido aos eventos climáticos adversos observados, decorrentes do fenômeno El Niño, houve uma redução de 25,10% na produção, totalizando apenas 4.213.854 toneladas.

    Trigo – Conforme a nova estimativa da safra 2023, a área cultivada de trigo totaliza 1.516.236 hectares, o que representa aumento de 0,7% em relação a 1.505.704 hectares inicialmente previstos. A produtividade esperada era de 3.021 kg/ha, no entanto a estimativa atual aponta 2.164 kg/ha, representando redução de 28,38%. Essa diminuição pode ser atribuída principalmente aos efeitos do fenômeno El Niño, como o excesso de chuvas e a ocorrência de outros fatores, como geada, vento e granizo, que impactaram a cultura em diversas fases do ciclo produtivo. A estimativa de produção atualmente é de 3.280.655 toneladas, o que corresponde à redução de 27,88% em relação a 5.288.030 toneladas estimadas no momento do plantio.

    No período, a colheita de trigo avançou, alcançando 82% da área cultivada, estando 17% em maturação e 1% das lavouras em enchimento de grãos. Conforme a colheita avança, persiste a redução da produtividade das lavouras e a perda de qualidade dos grãos. Predominantemente, o peso hectolitro (PH) dos produtos colhidos é inferior a 78, sendo considerado de qualidade inferior. Produtos com PH abaixo de 70 enfrentam dificuldades no recebimento para beneficiamento e comercialização.

    Aveia Branca – A nova estimativa da safra de inverno, realizada pela Emater, com base em dados da segunda quinzena de outubro, aponta 355.914 hectares de área cultivada de aveia branca, o que representa redução de 2,51% em relação a 365.081 hectares inicialmente previstos. A produtividade esperada era de 2.340 kg/ha. Contudo, a estimativa atual indica 1.992 kg/ha, representando diminuição de 14,88%. A estimativa de produção no momento do plantio era de 854.337 toneladas, representando redução de 17,02% em relação ao total de 708.932 toneladas. Assim como o trigo, os resultados negativos são atribuídos aos fenômenos climáticos adversos transcorridos no ciclo produtivo.

    Na região administrativa da Emater de Ijuí, ocorre o estágio final da colheita, e a qualidade dos grãos colhidos está abaixo do padrão desejado para o processamento destinado à alimentação humana. Os grãos estão sendo armazenados nas propriedades com teor de umidade acima do ideal, o que pode prejudicar ainda mais a qualidade final, causando preocupações entre os produtores. Apenas as lavouras colhidas no final de agosto e início de setembro atendem aos requisitos da indústria em termos de qualidade.

    Cevada – Na nova estimativa da safra de cevada, a área efetivamente cultivada é de 38.922 hectares, o que significou aumento de 8,42% em relação a 35.899 hectares, sugeridos no início do plantio. A estimativa atual de produtividade é de 2.667 kg/ha, representando redução de 15,17% em comparação a 3.144 kg/ha projetados inicialmente. A estimativa de produção é de 103.816 toneladas, indicando diminuição de 8,02% em relação a 112.870 toneladas inicialmente projetadas.

    Canola – De acordo com a nova estimativa da safra de canola realizada pela Emater, a área efetivamente cultivada totalizou 75.419 hectares, representando elevação de 12,20% em relação a 67.219 prospectados inicialmente. A produtividade obtida é de 1.597 kg/ha, representando redução de 2,12% em 1.632 kg/ha projetados no início do plantio. Estima-se elevação de 9,82% no volume de grãos colhidos, obtendo-se 120.452 toneladas, e não 109.684 toneladas previstas inicialmente. Embora os impactos do fenômeno El Niño tenham afetado a cultura, os resultados demonstram que, entre os cultivos de inverno, a canola apresentou desempenho produtivo superior. Adicionalmente, as cotações mais elevadas, proporcionais ao valor da soja, contribuíram para um resultado econômico positivo.

    Fonte: Adriane Bertoglio Rodrigues / Emater/RS-Ascar

    Desculpe, não posso fazer isso.

    Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

    As regras de SEO do Rank Math incluem várias práticas recomendadas para alcançar a pontuação máxima nos testes de SEO, incluindo otimizar meta descrições, URLs amigáveis, tamanho e legibilidade do conteúdo, velocidade de carregamento e muito mais. Seguir essas diretrizes pode ajudar a garantir que seu site seja facilmente encontrado e classificado nos mecanismos de pesquisa.

    Concluindo, é crucial seguir as regras de SEO para garantir que seu site tenha a melhor chance de ser encontrado nos mecanismos de pesquisa. Ao otimizar meta descrições, URLs, conteúdo e velocidade de carregamento, você pode potencialmente aumentar a visibilidade do seu site e atrair mais tráfego orgânico.

    ## Perguntas sobre SEO

    ### Como otimizar meta descrições para SEO?

    Para otimizar meta descrições, é importante incluir palavras-chave relevantes, enfatizar o valor que o conteúdo oferece e manter o comprimento entre 150-160 caracteres.

    ### Por que URLs amigáveis são importantes para o SEO?

    URLs amigáveis ajudam os mecanismos de pesquisa e os usuários a entenderem o conteúdo da página, o que pode impactar positivamente o ranking nos resultados de pesquisa.

    ### Qual é a importância do tamanho e da legibilidade do conteúdo para o SEO?

    Conteúdo bem escrito e legível pode resultar em maior engajamento do usuário, tempo de permanência prolongado no site e potencialmente maior classificação nos mecanismos de pesquisa.

    ### Como a velocidade de carregamento afeta o SEO?

    A velocidade de carregamento rápida pode melhorar a experiência do usuário e a classificação nos mecanismos de pesquisa, enquanto a lentidão pode levar a taxas de rejeição mais altas e menor visibilidade nos resultados de pesquisa.

    ### Quais são algumas ferramentas úteis para otimização de SEO?

    Ferramentas como o Google Search Console, SEMrush e o próprio Rank Math podem ser úteis para analisar o desempenho do site, identificar oportunidades de otimização e melhorar a visibilidade nos mecanismos de pesquisa.

    Houve pequena evolução na semeadura do milho no Rio Grande do Sul, abrangendo 79% da área planejada no Estado, que é de 817.521 hectares para a Safra 2023/2024. Alguns agricultores já concluíram o plantio da safra principal e planejam complementar a área estimada em safrinha. De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado nesta quinta-feira (09/11) pela Emater/RS-Ascar, 75% das lavouras gaúchos estão em germinação e desenvolvimento vegetativo, 20% em floração e 5% em enchimento de grãos.

    **Milho: Situação das lavouras em diferentes regiões**

    *Região de Santa Rosa*
    – 35% em desenvolvimento vegetativo
    – 51% em floração
    – 14% em enchimento de grãos

    *Região de Soledade*
    – Desenvolvimento vegetativo reduzido
    – Lavouras semeadas em outubro com melhor potencial produtivo

    *Região de Erechim e Frederico Westphalen*
    – Estágios variados das lavouras
    – Expectativas de produção favoráveis, com algumas dificuldades decorrentes de eventos climáticos adversos

    Se você deseja saber mais sobre a situação das lavouras de milho em diferentes regiões do Rio Grande do Sul, continue lendo a seguir.

    Verifique a Fonte Aqui