Curso Técnico sobre Produção de Silagem

5
17
Patrocinadores

Desculpe, não posso ajudar com isso.

Gostou das nossas dicas? Possui alguma outra que gostaria de compartilhar com a gente?

Sumário

1. Introdução

1.1 Importância de criar o futuro

2. A Transformação da Agricultura Brasileira

2.1 Surgimento da Embrapa

2.2 Desafios e oportunidades no campo

3. O Papel da Ciência na Agropecuária

3.1 Contribuições da ciência para a produção agrícola

3.2 Desafios futuros e a importância da ciência

4. Futuro da Agricultura Brasileira

4.1 Novos modelos de produção

4.2 Enfrentando os desafios da mudança climática

5. Colaboração entre Instituições Técnicas

5.1 Importância da cooperação técnica e científica

6. Boas-vindas ao Curso Técnico sobre Produção de Silagem

6.1 A importância do curso para a Emater e participantes

Reescrevendo o conteúdo:

**Desbravando o Futuro: A Incrível História da Agricultura Brasileira**

Patrocinadores

Há muito tempo, os mais sábios nos alertaram de que o futuro nos reserva duas opções: aceitar o que ele nos dá ou nos preparar para enfrentá-lo. No entanto, os mais atentos contestam essa afirmação, afirmando que a melhor maneira de lidar com o futuro é criando o próprio destino.

**A Embrapa e a Transformação da Agricultura Brasileira**

Em um período de aproximadamente 50 anos, a agricultura brasileira passou por um processo significativo de transformação. Tudo começou com a formação da Embrapa, que uniu esforços com produtores rurais, universidades, instituições públicas, empresas e a sociedade civil para enfrentar os grandes desafios e enxergar as oportunidades.

**A Ciência como Solução para a Agricultura Brasileira**

Patrocinadores

A ciência se mostrou uma poderosa ferramenta para enfrentar os desafios da agricultura brasileira. Ela possibilitou a produção de alimentos em solos outrora não férteis, tornou a pecuária mais sustentável, introduziu novas tecnologias para aumentar a produção e reduzir os custos, e proporcionou meios de subsistência para milhões de agricultores. A ciência foi o motor do desenvolvimento do Brasil.

**Enfrentando os Desafios do Futuro**

Atualmente, a agricultura brasileira enfrenta novos desafios, como a necessidade de desenvolver modelos de produção sustentáveis, enfrentar as mudanças climáticas, acelerar a digitalização do campo e garantir que todos tenham acesso a alimentos de qualidade. Mais uma vez, a ciência se mostra a resposta para esses desafios, permitindo que prevejamos problemas e desenvolvamos soluções.

**O Futuro da Agricultura: Continuando a História de Sucesso da Embrapa**

Patrocinadores

Os feitos dos últimos 50 anos posicionaram o Brasil como uma referência global em pesquisa e tecnologia agropecuária. Hoje, somos um dos maiores produtores de alimentos, fibras e energia do mundo, fornecendo segurança alimentar para o planeta. No entanto, essa história não é sobre o presente, mas sobre o futuro.

**Conclusão: Criando o Futuro com Ciência**

Enquanto alguns aceitam o que vier, os mais atentos afirmam que devemos nos preparar para o futuro, mas a melhor opção é ter a capacidade de criá-lo. É fundamental olhar para o futuro, investir em ciência e permanecer atentos para enfrentar os desafios que virão.

**Curso Técnico sobre Produção de Silagem**

Patrocinadores

Entrando em um novo contexto, temos a satisfação de receber todos para o curso técnico sobre produção de silagem, um momento de capacitação e qualificação técnica para aqueles que trabalham com a produção de leite, com foco particular na importância da silagem na cadeia leiteira. A união entre ensino, pesquisa e extensão é crucial para o sucesso desse curso, e contamos com a presença ativa de todos para aproveitar ao máximo essa oportunidade de aprendizado.

Essa é a história de como a agricultura brasileira está se preparando para o futuro, enfrentando desafios e construindo um destino sólido com base na ciência e na tecnologia. A Embrapa e seus parceiros estão prontos para os próximos 50, 100 anos e além, tornando o Brasil uma referência global em pesquisa e tecnologia agropecuária. A ciência continuará a ser a chave para o sucesso, gerando conhecimento, tecnologia, inovação e desenvolvimento para o país e para o mundo.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornal Do Campo

### Conclusão

Patrocinadores

O futuro da agricultura brasileira é promissor, graças ao trabalho conjunto da Embrapa, produtores rurais, universidades, instituições públicas, empresas e sociedade civil. A ciência tem sido a chave para enfrentar desafios e garantir a sustentabilidade na produção de alimentos, reduzindo a fome e criando oportunidades. Olhando para o futuro, é fundamental continuar investindo em pesquisa e tecnologia para que o Brasil possa continuar sendo referência global em agricultura e pecuária.

### Perguntas e Respostas

#### h2 [Qual é o papel da ciência na evolução da agricultura brasileira?]

A ciência desempenha um papel fundamental na evolução da agricultura brasileira, pois possibilita prever problemas e desenvolver soluções inovadoras, como novas tecnologias e práticas sustentáveis.

#### h3 [Quais são os grandes desafios que a agricultura brasileira enfrenta?]

Hoje, a agricultura brasileira enfrenta desafios como sustentabilidade, mudanças climáticas, digitalização do campo e atendimento às demandas de um novo consumidor mais consciente.

#### h4 [Qual é a importância da Embrapa e de outras instituições na pesquisa agropecuária?]

A Embrapa e outras instituições desempenham um papel crucial na pesquisa agropecuária, gerando conhecimento, tecnologia e inovação que impulsionam o desenvolvimento do setor no Brasil e no mundo.

[Música] [Música] [Música] [Música]

### Palestra

Olá boa tarde a todos os participantes do nosso curso técnico sobre produção de silagem. Hoje, temos o prazer de receber palestrantes renomados para discutir este tema tão importante para a agricultura. Vamos dar início à palestra e contar com a contribuição de todos para enriquecermos este conhecimento técnico.

Verifique a Fonte Aqui

[Música] [Música] [Música] [Música] os mais antigos já diziam para encarar o futuro só existem duas formas aceitar o que ele nos impõe ou nos prepararmos para sua chegada mas os mais atentos discordam e respeitosamente dizem o seguinte melhor do que encarar o futuro é criar futuro [Música] queridas e queridos habitantes dessa

Terra chamada Brasil permitam me contar Uma Breve História há 50 anos quando os mais atentos entenderam que podiam criar o futuro agricultura brasileira iniciou sua transformação nascia a Embrapa que logo se uniu a Produtores Rurais universidades instituições públicas empresas e sociedade civil juntos olharam para os grandes desafios do país e viram no

Campo grandes oportunidades pensaram [Música] agricultura para a realidade brasileira como combater a escassez de recursos Como reduzir a fome Mundial para os mais atentos da época as respostas estavam em uma ferramenta poderosa a ciência a ciência brasileira fez a terra produzir alimentos que não produzia fez a pecuária se tornar mais sustentável

Fez surgir novas tecnologias que aumentaram a produção e reduziram os preços fez milhões de agricultores terem um sustento fez enfim o nosso Brasil evoluir hoje olhando novamente para o futuro temos outros grandes desafios estamos desenvolvendo novos modelos de produção para incluir de uma vez por todas a sustentabilidade nas estruturas

Produtivas mostrando como é possível produzir mais num espaço menor e com menos Impacto ao meio ambiente estamos colocando em prática as estratégias para enfrentar Os desafios da mudança climática estamos acelerando a digitalização do campo estamos dialogando com um novo consumidor valor agregado estamos promovendo a biorrevolução uma verdadeira revolução

Pela vida trazendo para o campus avanços científicos da biologia da tecnologia da Inteligência Artificial e todas as transformações disruptivas que estão surgindo estamos trabalhando para que todas as pessoas crianças jovens ou adultos tenham acesso a bons alimentos como você pode ver a melhor resposta para todos esses desafios continua sendo

A mesma a ciência graças a agropecuária baseada em ciência é que Podemos prever os problemas e desenvolver soluções foi assim nos últimos 50 anos E será assim nos próximos 50 100 Afinal o futuro que os mais atentos Internacional hoje somos referência Global em pesquisa e tecnologia agropecuária integrando uma rede de

Cooperação técnica e científica que gera conhecimento tecnologia e inovação negócios e desenvolvimento por isso que hoje o Brasil é um dos maiores produtores de alimentos fibras e energia do mundo tendo a nossa agricultura e agropecuária pilares da segurança alimentar do planeta mas essa história

Não é sobre o hoje é sobre o futuro e se me permite fazer uma pergunta o que queremos para o nosso futuro alguns dizem que devemos aceitar o que vier os mais atentos dizem que devemos sim preparar para o futuro mas o melhor mesmo é termos as condições para criá-lo

Como quiser não sei você mas eu gostaria de fazer parte de cada Grande Desafio que é Embrapa busca resolver para isso o melhor a fazer é olhar para o futuro investir na nossa ciência e ficar bem atento [Música] Olá boa tarde sejam todos bem-vindos ao nosso curso técnico sobre produção de

Silagem eu sou Sérgio Bender trabalho aqui na Embrapa clima temperado na estação terras baixas do Capão do Leão e é um prazer poder nessa tarde de hoje poder conversar com tantas pessoas aqui no chat e também com os nossos palestrantes os nossos apresentadores nós acompanha aqui hoje né o nosso

Diretor técnico da Emater no Rio Grande do Sul claudney body de Cera o nosso colega Martin da Emater de Lajeado e o Professor Carlos Rabelo da Universidade Federal de Pelotas e no meu colega Jorge chafallzer aqui da Embrapa clima temperado Para darmos início então convido o Claudinei a fazer as

Boas-vindas por parte da nossa colega com irmã em matéria RS Boa tarde Boa tarde Sérgio de saudando Sérgio e ao Jorge Saúdo a todos os pesquisadores da Embrapa a todos os servidores da Embrapa e como muito bem evidenciado pelo vídeo que nos antecedeu coloca Embrapa aí numa instituição extremamente importante para todos os

Movimentos da agricultura da pecuária da sustentabilidade de toda agricultura do nosso país a Embrapa que nos é com irmã e extremamente importante aí na caminhada que nós temos em conjunto e na coexistência Embrapa em matéria do Rio Grande do Sul e tem certeza todos os outros sistemas de extensão Rural pelo

Brasil lá fora saudar ao Professor Carlos da Universidade Federal de Pelotas e igualmente Professor Carlos ato representa uma fração daquilo que nós enxergamos ensino pesquisa e extensão caminhando juntos de mãos dadas unindo os nossos propósitos e entregando melhores resultados da sociedade agricultura e a pecuária do Rio Grande

Do Sul ao colega Martin de saudando Martin cumprimento a todos os colegas da imateriais pensionistas servidores da Emater do Rio Grande do Sul e cumprimento pela iniciativa Sérgio Carlos Martin Jorge dessa união ensino pesquisa a extensão que podemos resumir numa palavra né que juntos somos mais fortes para entregar

Os nossos propósitos da sociedade desejar que o curso de hoje abordando a temática produção de silagem seja um curso exitoso que seja um curso importante momento de capacitação e de qualificação técnica especialmente para os nossos sentidos da imatermas a todos que participam e acompanha ou que assistiram

A essa produção técnica que eu tenho certeza que muita muito debate ainda que na forma de relembrar aquilo que a gente tem nas nossas formações profissionais é importante para caminhada aí de quem trabalha a frente da produção de silagem frente do assessoramento a silagem lá nas propriedades do campo para Emater

Nós é um tema extremamente importante Especialmente na produção de leite na bovinos de leite aonde nós atendemos quase 20 mil famílias da agricultores pelo Estado do Rio Grande do Sul na atividade leiteira e a silagem ela é um alimento extremamente importante na cadeia do leite então debater as formas

Adequadas para colheita da silagem ponto adequado da silagem de menino e outras formas de slide também mas preponderantemente no milho né é uma é um momento importante então quero desejar a todos que tenham excelente dia de capacitação né excelente tarde de capacitação e Sérgio cada vez mais vamos afinando os

Nossos propósitos comuns na semana passada tivemos uma atividade pela moda virtual também debatendo aí cereais de Inverno em terras baixas hoje com essa atividade que já foi referida tenho certeza que nós vamos ter muitas pautas em comuns Pelo menos é a disponibilidade dessa diretoria técnica e felizmente hoje nós temos ferramentas

Virtuais que nos possibilitam estarmos nos nossos postos de trabalho e buscarmos de forma organizada De forma ordenada as nossas capacitações técnicas então desejo aí um ótimo dia de trabalho uma ótima tarde de trabalho e reforço contem com a Emater sempre para que possamos caminhar juntos de mãos dadas

Entre essas três instituições essas três frentes do ensino da pesquisa e da extensão grande abraço a todos Obrigado Claudinei Muito obrigado pelas tuas palavras e isso nos traz muitas satisfação muita alegria porque acho que tu conseguisse resumir muito bem né a todos nós aqui passamos por uma universidade né a universidade está

Representada aqui nesse grupo nós estamos numa casa de ciência que é Embrapa né mas Embrapa por si só não resolve nós precisamos do braço forte que a Emater que a extensão Rural para que a gente possa realmente chegar no setor produtivo com as tecnologias com tudo que é trabalhado tudo que é

Desenvolvido aqui dentro do nosso centro e outros centros lembrava e esse ano né com a nossa chegada dos 50 anos de história de pesquisa né mais uma vez reforça a importância desse desse trabalho em conjunto em parceria para que a gente possa ter mais outros 50

Anos e quem sabe Outros tantos né então muito obrigado Claudinei a gente sabe que da tua agenda né a gente gostaria muito que pudesse nos acompanhar E durante o curso mas fica à vontade né na medida que tu precisares te ausentar a gente tem um um representante aqui do

Mais alto gabarito que é o Martin né E a gente já vem trabalhando com Marketing com tantos outros assistente técnicos regionais da Emater em temas que no nosso caso aqui é sempre voltado para a questão do da atividade leiteira né mas a gente como falasse a gente tem outras

Atividades como essa semana passada na parte de grãos é com outros assistentes técnicos né então para nós é importante essa essa aproximação e poder chegar fazer chegar a essa informação esse trabalho de pesquisa muito obrigado aí pelas suas palavras iniciais aí bom então Joia eu já passo de imediata a palavra

Para o marketing então né para que ele possa colocar um pouco né para para nossa audiência marketing que tá nos acompanhando a gente tinha imaginado que o curso seria focado mais para o público da Emater né mas em função aí de que muitos ficaram sabendo que o curso estaria acontecendo a gente acabou

Ampliando para o canal do YouTube da Embrapa e acredito que vai ser uma boa porque a gente tá acompanhando Aqui nós temos já participantes de todo o Brasil né então um tema extremamente importante e relevante né então marketing passa a palavra para ti para que tu coloques um

Pouquinho o que que traz o que que é essa demanda com relação a essa capacitação de hoje tu podes ligar o microfone Marte por favor obrigado boa tarde Bender Boa tarde a todas as pessoas que estão nos assistindo nesta tarde de hoje saudal o nosso diretor Claudinei e os nossos palestrantes Professor Carlos

Rabelo e o pesquisador Jorge quase tão difícil quanto o smartberg Mas vamos lá né então é o seguinte ó O que que o que que nos motivou a iniciar os contatos contigo enquanto Embrapa enquanto nosso amigo de várias de vários outros eventos como acabasse de mencionar

Nós temos uma demanda aqui no Vale do Taquari já que temos pessoas de todo o Brasil aqui nos escutando né colocar um pouquinho como é a nossa realidade aqui é minifúndio são pequenas propriedades em torno de 12 hectares de propriedade sendo que a área ultima menos que isso é nós temos atividade

Bovinocultura de leite muito desenvolvida aqui na região do Alto Taquari é a terceira bacia leiteira mais importante do Estado em termos de volume e são pequenos produtores que precisam produzir alimentos para esses animais que cada ano diminui os e aumenta a produtividade e a produção por propriedade ou seja mais volume de

Alimento é preciso ser produzido nessas nessas propriedades e uma prática muito comum é a produção de silagem de milho em Safra e safrinha e na safrinha normalmente este milho é colhido antes do ponto e neste ano especificamente em virtude da estiagem e do período de isolamento não acompanhar o

Período ideal para plantio muitas lavouras foram plantadas mais tardiamente né então esse milho ele está chegando não está chegando no ponto ideal para colher muitos produtores eles precisam colher esse milho antes porque tem medo de algumas geadas bem como também do tombamento dessas plantas né e os

Colegas da Emater sabem que às vezes quando a gente fala em que teriam que deixar esse milho e um pouco mais adiante O pessoal já respondeu assim então tá depois de um vento que o milho caiu e vocês vem aqui de facão ajudar nós a cortar esse milho e não é isso que

Nós queremos por isso que então atendendo uma demanda reforçando que surgiu aqui na região né a gente conversou em alguns grupos de colegas e eu contatei o Bender Sérgio Brenda que eu chamo ele de Bender sempre né colega de vários várias datas aí vários tempos a gente sempre já falamos lá sobre

Curumim já falamos sobre capuaçu né Sempre como tu dizia antes atividades mais relacionados à atividade então o Bender nos colocou esta oportunidade de nós termos essa reunião técnica hoje com o representante da Embrapa com representante da Universidade Federal de Pelotas para tirar nossas dúvidas e nos auxiliarem algumas alternativas para que

Nós podemos possamos levar isso aos nossos produtores Aí de todo o estado de quem sabe do Brasil aí pessoal que está nos assistindo então encaminhares aí os nossos palestrantes de hoje obrigado valeu marketing valeu essa essa questão do esclarecimento para nossa audiência né quando a gente

Colocou aí no nosso título aí o curso de silagem nós não especificamos né do que que era que era mais focado na questão da silagem de milho né E aí Claro audiência já tá nos perguntando aqui se tem condições de fazer silagem de moringa né enfim tem outros assuntos que

Provavelmente a gente para debater mais para o final né mas só para esclarecer que o nosso objetivo hoje né desse curso é resolver esse problema né tentar ajudar a resolver esse problema melhor dizendo né E para isso eu passo a palavra Então como nosso colega aí o

Jorge né é que é pesquisador aqui na Embrapa e trabalha né Justamente na área de nutrição né então Jorge eu gostaria que te apresentasse aí e já fizesse essa abordagem né que o marketing nos colocou né Quais os principais riscos vamos dizer assim que o produtor vai estar tendo na

Medida que tiver que fazer essa ensilagem aí mais cedo né sobre a ótica da nutrição aí Jorge por favor contigo a palavra aí Boa tarde a todos que nos ouvem é uma satisfação poder estar aqui entre entre um grupo tão seleto aí por dentro poder discutir e poder de alguma forma

Compartilhar algo da nossa da nossa experiência e que possa que possa trazer algum auxílio aos produtores a forma como como técnicos possam estar auxiliando esses produtores essa essa situação mais específica assim que o marketing relatou né O que provavelmente nós nós estaríamos tendo nesse nessa nessa situação de se fazer o corte em

Silagem de material ainda não totalmente pronto né duas duas coisas básicas estariam envolvidas nisso uma seria um teor muito baixo de matéria seca desse material né e um segundo ponto seria um teor energético Menor da silagem Provavelmente porque o grão ainda não tá numa fase onde ele ele acumulou que

Poderia acumular de amido né eu gostaria fazer uma fala assim mas eu gostaria de salientar que o Carlos o Carlos tem bastante experiência né processo fermentativo de silagem é um estudioso área área de Formação a linha de atuação nele é na área de silagem então Carlos fique bem à vontade para fazer algum

Comentário para mim interromper quando quando achar por bem eu diria uma situação uma situação prática então nós teríamos um material um material com teor de matéria seca abaixo abaixo do ideal que que redunda principalmente em prejuízos na frente durante o processo de fermentação e perda de efluentes que

Eu diria que é o que mais compromete a qualidade do material porque os nutrientes mais solúveis mais nobres digamos assim dessa planta Eles vão eles vão se perder na forma de efluente associado a isso tem um processo de má fermentação que resulta é que resulta sabores e odores indesejáveis que pode

Causar de alguma forma a redução de consumo fora isso fora a perda de material durante o processo de fermentação e armazenagem por efluente uma perda em relação a palatabilidade desse material a gente também vai ter um volumoso com um teor menor de pensando em Milho a gente pensa no componente energético né

Uma silagem com valor energético inferior é claro que tudo isso envolve uma situação produtor sabe que ele tá fazendo Ele tá cortando material e ensinando fora do ideal mas é um paliativo digamos assim né é uma é uma solução meio que emergencial para tentar Minimizar um risco maior de perda

Poderia se fazer poderia se fazer alguma coisa para corrigir então esses dois pontos primeiro analisar o material para ver se tem carboidrato suficiente para para ter uma fermentação mínima no Sila né E a questão do teor de matéria seca poderia ser corrigido se agregando algum algum outro ingrediente conteúdo de

Matéria seca mais alta foi rompei mas aí ela não Surgiu uma dúvida que quando falas nessa redução de matéria seca em termos percentuais o que que significaria isso em números aí poderia dar uma ideia para nossa audiência em números o que que esse pessoal tá

Colhendo antes da hora é qual é o qual seria matéria seca do material que você não escolhido e isso Quantos por cento de matéria seca precisaria ter para que tu garantisse vamos assim essa estabilidade não ter essa perda e a partir de qual teor de matéria seca já

Teria esses riscos né e se de repente se tem alguma forma Tu já tá entrando para a parte de solução né seria alguma forma aí de como que o produtor pode medir isso de matéria seca antes de começar a ensinar mais ou menos essa linha aí se te ajuda existe o

Teor de matéria seca digamos ideal a faixa de teor de matéria seca ideal para esses materiais Seria algo em torno aí de 28 até 33 34% de matéria seca provavelmente esse material que ainda tá enchendo o grão ele vai estar algo em torno aí de 25 26

Valores Carlos me corrige aí se o complemento quando quando achar por bem Você me permite aí Jorge já já fazer uma complementação que você tá falando e você colocou bem aí os problemas escolher uma planta mais cedo são dois basicamente né você já falou basta teor de matéria seca

E esse baixo teor de matéria seca o que que é historicamente dentro das Universidades a gente tem aprendido que o ideal para produzir uma silagem de milho com boa qualidade é quando a planta entre 30 e 35% de matéria seca basicamente é isso que tem sido passado nos livros também tá recentemente

Pela melhoria de equipamentos seja em ensiladeira tracionada por trator ou principalmente a alta tecnologia que envolve os autopropelidas isso daí mudou um pouco o cenário Então hoje a gente tem como ideal produzir uma silagem de milho colhendo a planta com 32 A 38% de matéria seca tá

Então quando fala baixo teor de matéria seca É nesse caminho que o Jorge já iniciou é ali abaixo de 30% já começa a ficar comprometida a fermentação Especialmente quando ficar abaixo de 28 por cento tá isso acontece porque porque quando a gente tem muita água a gente tem crescimento de

Microrganismos indesejáveis no processo vamos lembrar aqui inicialmente que quando a gente está colocando a planta para dentro silo vai junto com ela uma gama muito grande diversificada de microrganismos tá Daí a gente tem bactérias aeróbias que estão lá sobre a planta tem população de entero bactérias bactérias ácido láticas

Leveduras clostrid enfim tem uma gama imensa de microrganismos isso daí é conhecido como população epífita de ocorrência natural lá na planta tá e quais desses microrganismos que vão agir nesse cenário principalmente clostridium é um microorganismos que preferencialmente ele adora alta humildade e qual que é o agravante do do crescimento desse microrganismos

Dentro do silo bom clostridium ele utiliza açúcar para produção de ácidos enfim todo mundo sabe aqui mas vamos relembrar alguns pontos essenciais processo que para ter fermentação a gente precisa de Açúcar tá e esse clostridium ele vai pegar açúcar e vai converter esse em ácido butírico ou vai utilizar eventualmente ácido

Lático e ácido acético já foram produzidos por outros microrganismos e vão utilizar eles com substrato para a produção desse ácido boutírico ou ácido butírico é o ácido que dá aquele cheiro de podre característica de quando a gente abre o silo pega a silagem e vê característica organoléptica e já sente

Que o cheiro não tá legal tá podre né uma coloração Mais Escura então é típica da ação do clostridium que além do ácido butírico pode produzir aminas biogênicas que também reduzem consumo voluntário de matéria seca como o Jorge adiantou aí e o segundo ponto que o Jorge comentou muito bem É a

Redução da quantidade de energia da silagem nesse estágio que a planta não consegue fechar o ciclo dela esperar esse ponto ideal para colheita a planta não deposita a quantidade de amido que deveria depositar e quando a gente está falando de silagem de milho a porção mais energética da planta é o grão é

Amido Então fatalmente os produtores vão colher uma planta que ela vai ter menor quantidade de amido e maior quantidade de FDN o que obviamente vai impactar o desempenho animal aí se a região o foco É principalmente produção de leite a gente sabe que vacas leiteiras precisam de fibra ela também digestiva e

Bastante energia na dieta para produzir reduzindo consumo consequência e redução de produção de leite bom desculpa interromper aí o Jorge mais como a gente havia comentado aí eu acho que fazer nessa sessão meio que bate-papo aí te devolvendo a palavra eu acho que fica mais tranquilo para a gente levar né

Acho que foi muito bem muito bem colocado Carlos essa esse detalhe ver como eu tinha falado né em torno de 28 34 é uma questão super importante por que que se existe um valor existe um valor ideal Mas no processo a gente tem que levar em consideração que no campo às vezes eu

Tenho que começar a cortar lavoura um pouquinho antes do ponto ideal e eu vou terminar de cortar essa lavoura às vezes já tá passando do ponto ideal em função do em função do tempo da logística Então essa questão que o Carlos falou ali é super importante quando se trabalha com

Máquinas de Alto desempenho Então se encurta janela se diminui o risco né E se encurta a janela de colheita Esse é um aspecto importante o que que o que que vale a pena salientar também em relação a esse ponto quanto maior o teor de matéria seca mais energia provavelmente né mais

Energia eu vou ter nesse material sendo ensinado Mas sempre é preciso considerar que o processo de ensilagem de um material um pouco mais seco Eu tenho um pouco mais a dificuldade na compactação ou posso ter um pouco mais a dificuldade na compactação né então quando eu tenho bons equipamentos para fazer compactação

Isso isso é minimizado né mas às vezes quando é um trator que não é muito pesado e tal aquela coisa que tá fazendo a compactação eu posso ter problema porque esse material mais seco ele ele ele fica mais engaiolado digamos assim né e tem um pouquinho mais a dificuldade

Para eliminar eliminar o ar Além disso além disso a questão bom eu ia falar da ia falar da questão da compensação do teor de matéria seca né quando se colhe um material mais mais seco digamos assim eu perco eu perco um pouco de qualidade em relação à fibra

Carlos falou muito bem ali ó o que que é determinante do desempenho de gado leiteiro vaca de leite precisa comer amido se vier da silagem melhor porque senão ela vai ter que comer um amido mais caro vindo do concentrado então quanto mais amido vier da silagem mais barato é esse aporte energético digamos

Assim para vaca né E fibra de boa qualidade a fibra de boa qualidade subentende fibra mais digestível né e que não seja uma fibra porque essa fibra quando ela quando ela tá mais velha quando ela tem menos qualidade ela vai ocupar espaço dentro do trato digestivo do animal por

Mais tempo então uma fibra que é mais digestível ela é fragmentada Ela é fermentada mais rapidamente e ela passa mais rapidamente para o trato digestivo posterior que determina o apetite no bovino é o enchimento do Homen basicamente falando de uma maneira bem bem simplista né mas basicamente a

Medida que o homen vai se enchendo tem tem células nervosas na parede do Homem que mandam mensagem para o sistema nervoso central que determina a sensação do apetite quando o homen vai se esvaziando pela passagem do material Então essas esses mecano receptores eles são desativados e o apetite retorna

Quando eu fornece uma fibra de baixa qualidade com a vaca o primeiro uma dieta um teor de fibra mais elevado que é o vai ser o caso dessa silagem porque a tendo menos energia ela provavelmente vai ter vai ter mais fibra né E essa fibra ela acaba enchendo mais o animal e

Mantendo o enchimento ruminal por mais tempo o que por si só já faz o animal comer menos né Se tiver associado a uma coisa também que o Carlos comentou ali que são essas aminas biogênicas esses produtos da máfermentação que o animal tem uma uma capacidade muito ele é muito

Sensível as papilas gustativas elas percebem é pequenas frações desses desses componentes numa silagem mal fermentada que fazem fazem com que o animal como a menos desse material então é um pouquinho um pouquinho do da composição do material um pouquinho da uma fermentação um pouquinho da perda de fluente todos esses pouquinhos vão se

Somando de maneira reduzir o potencial poder potencial produtivo do animal né então esse esse é esse é o grande problema o que que se poderia fazer nesse caso de colher antes bom colher antes a maneira de compensar digamos assim esse amida como a gente comentou vai vai

Ter que compensar usando um amido mais caro né vindo de vindo de grão energético da do concentrado e para compensar um teor mais baixo de matéria seca poderia se agregar E aí aí seria interessante até eu gostaria que o Carlos comentasse porque é um trabalho bem novo é um trabalho que que

No Brasil ele tá começando agora né e é uma coisa que que o Carlos vem desenvolvendo a gente até fez algumas coisas juntos sobre sobre em silagem de dieta ao invés de ensinar o volumoso e Tem que montar a dieta diariamente para os animais esse processo de assimilar

Uma silagem pronta então a dieta Total ela já fica em cilada e o produtor não tem mais ele tem o trabalho uma vez de fazer essa mistura e depois ele não tem o trabalho todos os dias e ficar misturando a dieta para o animal seria interessante de repente o Carlos

Comentar alguma coisa de que forma que essa tecnologia Poderia ajudar não só a corrigir o teor de matéria seca como também melhorar o teor de o teor de amido desse material para melhorar a fermentação tá Jorge bom então vamos lá o grande problema e é um baita desafio colher plantas nesse cenário que

Obrigatoriamente você tem que antecipar a colheita mas a gente tem Como contornar esse problema tá de duas maneiras Vamos pensar primeiro se a gente está antecipando a colheita e praticamente a gente não tem amido nesse grão que está sendo formado essa planta de maneira bem grosseira ela se assemelham a silática pim Tá

Qual que é o grande problema da silagem capim você tem que colher antes antecipadamente com alta quantidade de água porque senão você vai colher uma planta com muita FDN lá na frente se esperar chegar 30% de matéria seca ou mais né Então nesse cenário a gente vê dois pontos

Bom primeiro O Jorge falou tenho que levar esse teor de matéria seca porque você não é problema dentro do silo pelas fermentações indesejáveis que a gente já comentou E como que eu elevo esse outro material a gente tem aditivos sequestradores de umidade que são por exemplo um milho moído

Um DDG uma polpa cítrica eletrizada um farelo de arroz são ingredientes que tem alto teor de matérias seca acima de 80% de matéria seca normalmente então eu faço uma mistura adiciono no momento da ensilagem vai a ensiladeira no campo colher a planta de milho vai trazer para boca do silo pessoal vai

Começar a espalhar para fazer a compactação e nesse momento eu começo a adicionar um ingrediente seja lá DDG fubá de milho que for para adicionar um teor de matéria seca mais elevado para aumentar para puxar o teor de matéria seca lá para cima né que que esse

Absorvente faz ele puxa a água ele chupa essa água de dentro do silo e a fermentações indesejáveis que deveriam ocorrer por meio do clostrid elas são inibidas então o primeiro ponto é adicionar esse sequestrador de umidade E aí um ponto importante quantidade quanto que eu adiciono

E aí a gente o Rabelo Deixa eu botar Deixa eu botar o ingrediente a mais aí nessa tua receita pode ser tu falasse a silagem do Capim né às vezes não tem acesso a essa essa alternativa esse DDG ou a polpa cítrica que normalmente são comuns em áreas

Industriais né o mais por cento do país daqui a pouco ele tem lá um outro material um capim por exemplo seria importante utilizar esse capim quais seriam aí os prejuízos ou os benefícios que esse capim traria nesse sentido aí de melhorar o teor de matéria seca

Tá boa a colocação Sérgio a gente já discutiu bastante isso daí anteriormente em aulas né e o Sérgio sabe que eu sou um crítico da questão de misturar forrageiras para ensinar porque isso daí traz um desafio primeiro Logístico operacional dentro da propriedade que eu tenho duas maneiras de fazer isso eu

Posso consorciar as duas culturas que eu quero ensinar na mesma área ou cultivo em área separadas mas no momento da colheita eu vou adicionar numa carreta de cada ali e fazendo a mistura dentro do seu né o que que eu enxergo de maneira geral em condições normais que eu vou produzir

Esse laje mídia boa qualidade Não É vantajoso adicionar o capim junto Porque quando você tem a mistura de duas culturas diferentes e você tem uma muito melhor que a outra que é o milho em relação ao capim esse em termos nutricionais e fermentativos Se eu colocar as duas misturadas não é

Que auxilia o milho na verdade piora tem em mente que sempre que eu misturo duas culturas aquela de pior valor nutritivo ou que tem mais problemas relacionados à fermentação é ela que puxa para baixo não é o milho que vai ajudar o capinha elefante a fermentar melhor até uma

Qualidade melhor normalmente que você tem é redução de qualidade então desafio operacional logística É imenso e nesse cenário agora que o marketing colocou para gente também não enxergo isso com a saída para a gente pegar lá um capim que tá mais passado e misturar com essa

Silagem o caminho mais fácil e o mais plausível é esse que o Jorge começou a falar e a gente seguiu discutindo aqui que é o uso de sequestrador de umidade e daí a gente vai chegar lá na dieta total Jorge que muitos poucos sabem eu acho dessa

Técnica que o pessoal tem utilizado hoje mas além do uso do sequestrador de umidade eu tenho a questão fundamental que usar inoculante bacteriano tá então tem que associar dependendo do teor de matéria seca eu posso usar só inoculante bacteriano mas se o teor de matéria seca for muito

Baixo foi isso Eu quero falar abaixo de 25% provavelmente os produtores vão ter que utilizar os dois aditivo microbiano e aditivo sequestrador de umidade encarece o processo Óbvio encarece mas é um cenário que não te dá muitas possibilidades para onde correr também né então tem que utilizar dessas ferramentas tá

Mas só para matar a questão que você tinha perguntado a ser ajuda as duas cultivares se a gente pensar em incluir além de sequestrador de umidade uma um capim mais seco a gente envolve mais operações no sistema né ou se você abre mão sequestrador de umidade bota um

Capim você tá com o mesmo processo operacional que você tem que adicionar outra outra ingrediente para dentro do estilo e o processamento se torna difícil né como que vai fazer a mistura disso tem que ser uma mistura homogênea né então é mais fácil adicionar um concentrado do que o outro fora

E daí nesse ponto do teor de matéria seca eu queria abrir um parêntese aqui que a gente vai Dando volta vai lá na frente volta em cenários anteriores para tentar falar algumas coisas básicas mas eu acho que o propósito é esse né fazer um bate-papo aqui porque assim ó

Como que eu vou saber se eu tenho que adicionar só inoculante homótico ou sequestrador de umidade junto primeiro ponto eu tenho que partir de um valor x matéria seca Então tem que conhecer o teor de matéria seca da minha planta fundamental determinado teor de matéria seca da planta lá no campo

E aí como que eu faço isso antigamente era complicado porque só tinha análise em laboratórios e análise por métodos convencionais Ou seja você teria que pegar uma amostra fazer uma amostragem representativa da tua planta mandar para determinado laboratório comercial Ou de universidades que é um tempo atrás eram tinham

Recebi um maior quantidade de amostras e levaria aí três dias para secar esse estufa 55 graus para você ter o resultado né hoje a gente já tem vários Laboratórios comerciais aí para citar alguns tenho três R Lab que tem lá em Minas Gerais tem em Santa Catarina e

Também tem a Fundação ABC ali no Paraná exalto leve enfim entre outros você pode mandar amostra para lá e dentro de dois dias úteis você tem um resultado já de volta mas isso daí leva tempo e eu querendo ou não dois dias é tempo para o produtor planejar melhor o processo de produção

De silagem dele né e tem um meio muito fácil de fazer isso hoje praticamente toda propriedade tem ou forno microondas ou AirFryer que aquela fritadeira de batatinha aí sem óleo e tem metodologia tanto para um tipo como para outro tipo para determinar a teor de matéria seca

Tá tem metodologias já validadas aí que tão publicadas em trabalho científicos tem em sites especializados sobre produção de silagem enfim isso daí se depois o Sérgio não sei como que é a história mas se quiserem que eu disponibilize algum material eu posso fazer isso daí

Por meio de algum link sim sim isso é importante o marketing o nosso o nosso Coringa e na relação com a irmã eterna a gente pode encaminhar para ele e até tem uma publicação da Embrapa né que é como medir matérias seca usando o forno microondas né eu vou pedir para para

Colega da André que tá nos Bastidores Se ela puder localizar essa essa publicação já colocar e o link de acesso para que o pessoal já possa ter essa essa possibilidade aí conforme está colocando mas depois os outros materiais o cabelo a gente pode encaminhar para o marketing

Que ele faz a distribuição para os colegas da matéria hein tá tá bem mas de qualquer maneira o Sérgio caminhando aí a metodologia vocês vão ver que é muito tranquilo o que que isso precisa dentro da propriedade você precisa de uma balança hoje toda dona de casa aí tem

Uma balancinha daquelas para fazer bolo pão ou alguma coisa assim Precisa de um pratinho e se entrar na lavoura andar em pontos aleatórios diferentes que sejam representativos corre lá o material aquilo pega um punhado homogeniza óbvio né Pega seleciona aquilo lá coloca e pesa vamos supor que pegou 100 gramas e

Botou lá né no forno microondas depois de todos os círculos necessários lá para determinar quando tem atinge peso constante botou sem começou a pesar e não sai dos 25 gramas 25 25 se sobrou 25 gramas significa que a tua forragem tem 25% matéria seca tá no cenário ideal você esperaria aí

Passar dos 30%, como esse não é o cenário que tá ocorrendo ali em Santa Catarina não é possível então tá no ponto para ensinar ali nesse período de maior desafio 25 que que eu faço vou usar sequestrador de umidade e inoculante tá na AirFryer o mesmo processo só que a Airfryer Na minha

Opinião ainda é mais fácil de determinar teor de matéria seca você bota lá 30 minutos botou lá 100 gramas deu 30 minutos você já tem um valor final você não precisa ficar repetindo ciclos como no micro-ondas tá então determinou o teor de matéria seca daí com base nele você vai calcular a

Quantidade de sequestrador de umidade que vai usar e em relação à inoculante isso não varia o inoculante é por quantidade Tonelada vem a recomendação lá no produto bom não sei se a gente segue aqui falando dessa receita de como solucionar o caso ou tem outras perguntas aí o marketing

Só Talvez possa te auxiliar na questão aí de logística né dos laboratórios na região uma arte aí na região de Lajeado mas você tem encaminhado aí a parte de das análises para o laboratório nós temos utilizado do laboratório em Vila Maria o lado nutre seu nome a logística

Funciona muito bem aqui porque tem um tem um expresso aí que recolhe todos os dias a entrega hoje segunda-feira terça-feira tá lá quinta-feira por e-mail já veio o resultado a gente fez vários trabalhos aí com criticalico com trigo né então sem fazer propaganda mas eu acho que é válido o

Laboratório que funciona muito bem não é bem é bem essa lógica mate porque o que acontece assim né a gente tem tido várias experiências né de tecnologias que são disponibilizadas né e muitas vezes o produtor não tem acesso essa tecnologia pela distância Então a nossa intenção justamente é essa bom tem

A solução precisa estar da informação como que eu faço para acessar essa informação então por isso que eu te provoquei não é no sentido de de criar propaganda mas é de GTA acesso a essa Essas tecnologias que estão disponíveis aí né e eu acho que o o

Cabelo depois do pote pode falar Márcio não é que assim é para nós aqui no Vale Taquari aqui cair também os dois Vales aqui que o Regional de lá já faz parte então fica muito prático para nós porque tem esse transporte diário para lá né as roupa Passo Fundo passo por Vila Maria

Largo lá e tem vai de manhã e de tarde eu ia só aproveitar não sei se estou me antecipando Professor Carlos professor tava falando de alternativos eu ia escrever uma pergunta aqui a altura do corte da planta influencia alguma coisa no teor de matéria seca da silagem

Influencia sim é uma boa pergunta o Martim se a gente pensar grão no período normal o grão tem maior teor de matéria seca do que a porção vegetativa tá como geralmente Enganam como retém bastante umidade Então se reduzir na altura de corte você tende a aumentar a umidade da planta Tá

Mas esse é um cenário de desafio que se a gente não vai esperar a planta fechar o ciclo em termos de produtividade matéria seca ela não vai atingir o ápice o potencial que ela pode então nesse cenário a gente tende a reduzir a altura de corte porque a gente vende dois anos

Aí basicamente sofrendo com secas né em que a gente não tinha produção suficiente de alimento então a gente deixa de olhar um pouco nesse cenário para qualidade e pensa em quantidade daí você para de colher a tua planta entre 30 35 cm de altura até 40 e Abaixa

Um pouco a plataforma ali porque você tem que levar mais material garantir mais fibra para os animais Esse é um cenário em que a gente tem essa necessidade de enxerga essa necessidade né daí tem Impacto não teor de matéria seca Mas você tem que olhar mais para quantidade não qualidade nesse momento daí

O Sérgio é só permitindo aqui complementar que o Jorge tinha pedido para falar um pouco aqui eu acabei não falando né da questão que uma estratégia que pode ser utilizada pensada é para esse momento em silagem de dieta total né e o que que essa silagem produção de silagem de dieta

Total bom o produtor que tá trabalhando com gado de leite ele utiliza silagem como volumoso um dos ingredientes da dieta porque nenhum volumoso vai atingir 100% dos requerimentos nutricionais do animal então ele é forçado a usar concentrado energético concentrado proteico premix vitamina mineral e bota lá no cocho e ele faz isso em

Operações diárias todo dia ele tem que fazer isso e lá no silo desincilar seja manual ou por meio de máquinas fazer a mistura da dieta e jogar lá no posto para o animal comer a vaca comer essa produção de silagem é de dieta Total nada mais é do que trazer esses

Ingredientes junto com a forragem no momento do corte fazer a mistura dela E ensilar no momento da ensilagem do Milho você adiciona os demais ingredientes na proporção que se estabeleceu de acordo com a formulação da dieta né vai fazer o processo de ensilagem da mesma forma como se faria para o

Volumoso exclusivo e depois da determinado número de dias lá você vai abrir o estilo de acordo com a tua demanda né e um cenário ideal Espera aí no mínimo 30 dias para fazer abertura no estilo mas nesse momento que falta um pouco de alimento para os animais é

Possível que o pessoal Tenta abrir um pouco mais rápido aí assim mas basicamente é isso é uma técnica que o pessoal vem utilizando bastante na Ásia especialmente China e Japão e é pouco utilizada e pouco comentado aqui no Brasil mais que esse assunto é um assunto bem interessante porque

A gente tem visto né pessoal de matéria muito mais do que nós né quando tá andando por aí a quantidade de produtores comercializando a silagem sacada né e ainda não chegou na nossa realidade a comercialização dela essa dieta Total mas que talvez seja uma oportunidade uma arte para que os

Produtores que hoje estão com esse problema né de ter que ensinar esse material mais cedo né bom é um material de qualidade né o material que precisa ser complementado Como disse o seu Rabelo mas quem sabe não é uma alternativa legal também ele já adiciona ali um pouco de feno já

Adiciona a casquinha de soja o milho moído quer dizer já faz a dieta que ele vai utilizar e depois ele pode comercializar também isso como fonte de receita né E isso realmente o cabelo ele ele fala com propriedade nós não temos esses modelos comerciais no no Brasil a

Não ser que eu esteja enganado Marte E aí não vale Taquari já tem pessoal vendendo a dieta total e sacada aí como é que nos diz estava escrevendo ali a prática de silagem ensacada é muito comum muito comum na região aqui mas concentrada em determinados municípios

Mas há silagem de dieta ainda não vi mas escutava vocês falando aí tipo é um é uma oportunidade aí que surge aí para muitos produtores a gente tem pequenos produtores aí com ovinos e outros que adquirem ração na silagem sacada é uma oportunidade para quem produzir isso aí

Mas ainda não temos mas é comum tem várias máquinas de sacasse Laje aqui na região vem crescendo o número inclusive Pois é e em professor e essa que o Jorge quer falar pode falar não eu só comentar rapidinho que tem no centro-oeste ali em Minas já já tem alguns casos em Já tem

Alguns casos é bem incipiente ainda porque depende de uma de uma de uma parceria forte né mas já existem sistemas de produção de leite que trabalham com dieta dieta Total comprada é uma coisa que tá tá vai vai a evolução então até até aproveito a citação do Jorge

Fala ali na região de Minas né Nós temos aqui na audiência público do Brasil inteiro pessoal então gostaria de lembrar para nossa audiência que o nosso objetivo principal desse evento é atender essa demanda da Emater com relação aos problemas que a matéria vem encontrando no que diz respeito a colheita de milho

Cedo né isso traz alguns inconvenientes né que o professor Rabelo e o professor Jorge estão colocando aqui com relação ao teor de matéria seca com relação à questão da qualidade a questão de amido né então a gente vai focar a nossa conversa hoje para esses para esse tema

Vamos dizer assim né com relação às perguntas do Glauber e do fredding ali né na questão do Sertão nordestino e no Amazonas né a gente orienta aí que o pessoal que tá nas outras regiões do Brasil né que dentro possível procurem aí a materna do seu estado ou até a

Mesma Embrapa para tentar buscar alternativas aí para para as suas dúvidas né nós hoje aqui nosso nós temos A modéstia de sol tentar auxiliar em materno a resolução dos problemas com silagem de milho e eventualmente alguma outra coisa que que possa surgir de oportunidade aí mas a

Gente podia seguir falando o Rabelo com relação tu desce dois duas vezes tu falasse e tal dos aditivos um seria o aditivo esse né O sequestrante de umidade e o outro seria o aditivo biológico seria inoculante e tal mas tu só falou e não não introduziu então se

Pudesse falar um pouquinho sobre a questão do inoculante como é que esse inoculante traria benefício aí para essa situação que o produtor ter que fazer esse corte mais cedo ele resolve o problema é milagroso não ele deu o santo agora tem que dar um milagre também né é assim ó

Quando eu vou colher plantas mais jovens com mais umidade eu Obrigatoriamente eu tenho que utilizar inoculante bacteriano tá vou descrever aqui para vocês que eu inoculante bacteriano é composto basicamente de bactéria ácido lática a maioria lá dos produtos comerciais que você pegar vai ter essas bactérias ácido láticas que são divididas basicamente em

Dois grupos uma é uma fermentativa que vai pegar o açúcar da planta e converter esse açúcar em ácido lático e a segunda é astrolático E vai pegar o açúcar da planta e converter em ácido lático e ácido acético E ainda tem a capacidade de anaeróbicamente pegar o ácido lático que

Já foi produzido e converter ele em ácido acético tá então nós temos dois produtos extremamente diferentes e que tem que ser entendidos para serem utilizados de maneira compatível com a planta e com problema tá nesse cenário que eu vou colher uma planta mais nova que eu vou ter o

Problema com clostridium eu quero inibir o crescimento desse microorganismo e esse microrganismo ele tem diferentes grupos tá tem lá clostrite com tiro botire com aquele grupo que causa proteólise se a gente pegar os três grupos Esse microrganismo é ele é inibido ele para de crescer quando o pH da massa encilada

Chega em 4.2 Então chegou em 4.2 tem inibição descostridium resolve o meu problema tá então eu quero uma queda rápida e eficiente do PH quem que vai fazer isso bactéria homológica tá que vai pegar o açúcar e converter ele em ácido lático vai pegar isso e vai converter de maneira

Extremamente eficiente porque nesse processo não existe perda de matéria seca Teoricamente é 100% de recuperação de matéria seca que uma glicose que tem seis carbonos está sendo convertido em duas moléculas de ácido lático que tem três carbonos cada um há produção de gás nesse processo então é eficiente por

Reduzir rapidamente o PH e diminui perdas fermentativas dentro do silo tá Então nesse cenário pessoal é esse o tipo de bactéria de aditivo que tem que ser procurado porque se eu utilizar o hetero fermentativo o principal objetivo dele é proteger a silagem no pós abertura do selo então vou abrir o meu

Silo quando tem bastante quantidade de açúcares residuais ácido lático e a planta já depositou bastante amido tudo isso é substrato para crescimento levedura então quando eu colho uma planta mais próxima de 35 38% de matéria seca que eu tenho mais dificuldade com compactação e tem mais energia nessa planta eu tenho

Que proteger ela da deterioração contra leveduras lá no pós abertura quando eu abro o estilo tá então para esse tipo eu uso hétero fermentativo para esse nosso problema eu uso uma fermentativa e daí vocês vão procurar nos rótulos lá bactérias como lactobacilos plantaram enterocoxos todas as bactérias homo fermentativas tá

Então entendo essa compatibilidade entre aditivo e necessidade de ajuste no processo de ensilagem porque a escolha errônea leva maior as perdas e o dinheiro gasto com inoculante vai ser perdido também porque não atinge o efeito esperado perfeito perfeito o Rabelo O João O João Francisco Fernandes aqui ele comentou

Que a gente vai vai trocando o assunto né ele ele gostaria de seguisse o raciocínio do cálculo lá do percentual quanto que bota lá do aditivo sequestrante aí para para completar essa esse tema de matéria seca desejável [Música] Vamos considerar alvo aqui que a planta

Tenha mais de 32% de matéria seca tá o Meu Alvo é chegar em 32% de matéria Seca agora não sei se a maioria do nosso público é agrônomos eu não me lembro se agrônomos durante a sua cadeira tiveram um famoso quadrado de piercing não me lembra quem tem alguém agrônomo aqui

Eu acho que nós somos mal da profissão aqui porque dois a tecnistas um engenheiro Agrícola no veterinário mas não não mas uma regra de três é sexta série já que eu interrompi o negócio aqui queria saber se pode mandar abraço porque eu vi agora eu vi agora que além

De 14 Estados da Federação Tem gente do Paraguai ligado Hum E eu queria e eu recebi eu recebi a mensagem de um cara lá de Uberaba foi meu colega em Viçosa tá nos ouvindo aí mandou um abraço Então manda um abraço para o Rodrigo Furtado e

O pessoal de Canguçu também o pessoal de Canguçu tá tá em contato aqui tá nos assistindo muito obrigado pela audiência legal Jorge legal mas então eu acho que vai ter que seguir na regra de três não entra no quadrado de piercing Então pois é aí é complicado passar o cálculo aqui

Mas vamos lá vou tentar se quiserem ver o raciocínio eu vou tentar compartilhar a tela aqui o Sérgio que aí eu consigo abrir um Word aqui e tentar fazer mostrar como que se faz o cálculo tá como já diria um comunicador muito famoso né aqui é ao vivo

Quem sabe faz ao vivo direto né bom então enxergando a minha tela aí ainda não Agora sim Então vou lá deixa eu abrir um documento aleatório aqui e tentar mostrar para vocês como é que faz o cálculo Vamos tentar resolver esse problema aí que assim a gente consegue consultar

Isso como que se faz o cálculo até em vídeos no YouTube e de maneira bem clara Mas vamos lá vamos Vamos considerar aqui ó que eu tô ensinando a minha planta com 25% teor de matéria seca tá se tu puders aumentar o tamanho da letra e fica legal Dá um pouco de zoom

Assim tá mais fácil de ver aí tá perfeito tá vamos lá 25 e eu vou trabalhar com ingrediente que sei lá milho Vamos colocar aqui forragem Verde ó bem tá dizendo que tem quadrado de peso lá na agronomia Vamos colocar aqui um fubá fubá de milho

Aqui que tem 88% de matéria seca tá o alvo aqui na história que eu disse vamos tentar aqui ó 32% de matéria seca eu quero levar o teor de matéria seca da minha silagem para não ter problema com fermentação indesejada Então como quem já fez o quadrado de

Piercing aí vai lembrar como é que é o cálculo eu faço sempre na diagonal 32 menos 25 e 88 – 32 tá 88 – 32 56 e 32 – 25 isso daqui vai dar certo tá então deixa eu chegar lá Então significa que na mistura eu tenho que usar 56 partes

E forragem verde chamar aqui de FV e 7 partes de fubá de milho tá 56 + 7 isso daqui vai dar 63 somatório Então vamos só descobrir aqui qual que é o percentual vamos lá deixa eu ver aqui eu tô vou abrir o outro site aqui no Google só para eu

Fazer a conta aqui 63 é 100 56 é quanto 88.9% 88.9 e sábado 11.1 de milho muito então isso significa arredondando aqui e para cada uma tonelada da mistura Vou deixar só um ter aqui uma tonelada da mistura a grosso modo 890 kg tem que ser de forragem e 110 Kg de fubá

Daí usando nessa proporção com esses teores de matéria seca você vai chegar aqui no material dentro do Círculo com 32% de matéria seca entenderam o cálculo Olha nós entendemos que aí a pergunta eu devolvo ali para o João Francisco né Se caso ficou alguma dúvida com relação aos percentuais que

Por favor que ele repita a pergunta aí ou nos esclareça aqui tem mais algumas perguntas que estão bem dentro dessa questão do do da utilização de sequestrante o cabelo e Jorge é o bom primeiro o Mário tá dizendo que ele fez silagem de capuaçu com milho inoculante com 120 dias né depois a

Gente pode voltar a falar um pouquinho dessa questão da cidade do Guapiaçu com milho aí mas o que tá Tá eu vou pular um pouquinho a pergunta do Jean para o Pedro Costa ele diz assim ó milho quebrado antigamente chamado de quirera para pinto né e fubá é muita diferença

Nesse papel de sequestrador pela lógica sim mas na prática e no custo qual é que é a opinião de vocês ao invés de usar o fubá né que é o milho bem moitinho aí usa essa quirera que o pessoal usa aqui na furada Deixa eu fazer um comentário

Aí que esse negócio de fubá e é coisa de Mineiro viu eu acho que tão falando mais ou menos a mesma coisa né Rabelo sim sim que o fubá tem diferente granulometria é assim ó pelo que eu conheço lá né Eu sou mineiro mas tô longe de Minas desde os

23 anos né então a gente perde um pouco ali nos termos esquece um pouco que é meio regional mas assim ó a diferença na granulometria tem diferença sim aquele que possui menor granulometria ele tende a sequestrar maior quantidade de água tá agora em termos de custo precisa avaliar o que que você tem

Disponível na tua região que seja mais acessível e com preço mais em conta né e a gente for levar em consideração um preço que é importantíssimo para tomada de decisão se você for olhar grãos milho se torna caro né você tem outras opções para isso é sorgo você tem aqui na

Região Talvez um farelo de arroz alguma coisa assim você tem que começar a procurar olhar para sobre produtos que tenha alta teor de matéria seca aí ele se encaixa dentro do propósito e do orçamento que tem o comentário Exatamente esse porque o custo energético de fazer a trituração

Né uma peneira mas uma peneira mais fina para para ficar um tamanho de partícula menor tem tem todo um além do tempo que gasta para triturar né tem o gasto energético é importante E aí eu ia falar justamente isso O farelo de arroz nesse caso ele já tem uma granulometria bem bem

Interessante para isso né e esse ponto que você colocou aí Jorge é interessante né que quando a gente tá trabalhando com diferentes granulometrias você tem diferentes rendimentos na moagem né conforme 70 moer esse material mais fino Você diminui o rendimento aí quantidade de toneladas por hora

Né mais em termos de benefícios é melhor o processo de sequestrar umidade e se você trabalhar da maneira correta que é tentar homogeneizada melhor maneira possível isso daí você ganha em efeitos nutricionais e preservação de teor de quantidade de matéria seca e energia lá no final do processo

Beleza o Marcelo Miller que é da em matéria só não lembro qual é o município tu me ajuda aí qual é o município do Marcelo mas ele fala uma questão foi um dos que iniciou a demanda tá Joia Joia um abraço pro Marcelo aí então ele

Coloca o seguinte Jorge e Rabelo né em termos de Economia disponível a mistura ficaria boa mas se ficar paga de e se tiver palha de trigo qual seria o resultado final dessa mistura como é que vocês podem ajudar o Marcelo nessa questão dele aí e já aproveita que o Mário Adolfo tá

Dizendo casquinha de soja já bota os três junto aí nessa nessa análise aí puxa assim quando a gente está trabalhando com esses ingredientes que eles querem ver a possibilidade de incluir um único caminho que eu vejo particularmente é produzir já uma silagem de dieta total porque se você

For fazer a mistura só da forragem de milho mais úmida com esses materiais como que vai ficar o processo de homogeneização um processo operacional ali no momento é Um Desafio Grande para fazer essa mistura né se a propriedade tem algum vagão misturador mesmo que em pequeno escala

Isso já ajuda a fazer uma dieta total mais homogênea agora se não tem equipamentos desse tipo de esporte e não tem a possibilidade de Contratar serviço terceirizados daí tem que ver a possibilidade talvez de utilizar sua inoculante bacteriano e se não tiver essa condição de misturar o material e jogar no silo

Espalhar esse material em camadas Mas aí tem que ser concentrado o uso de qualquer tipo de Palhada eu não vejo isso como benefício tá a gente não vai ter sequestro de umidade que a gente pretende Inclusive eu acho que tem um aspecto importante porque são dois trabalhos né

Carlos se o cara vai vai misturar um ingrediente com maior teor de matéria seca mas depois isso vai continuar sendo um volumoso que ele vai precisar desinclar e fazer e fazer a mistura a mistura diária que é uma das coisas que há em silagem de dieta Total se propõe a

Resolver né Essa questão da logística do trabalho diário tu não ter que pesar ingrediente e misturar dieta todos os dias ela já tá ali pronta faz uma vez só nesse caso Então é eu acho que se aplica também se vai precisar agregar algum outro material maior de matéria seca eu

Acho que a ideia de fazer uma uma ensilagem de dieta Total ela ganha força porque resolve o problema de composição do material assim esse lado e otimiza a questão da mão de obra para não ter que ficar misturando depois o meu exatamente eu tô percebendo os olhos do marketing aqui né que Ele

Chegam brilhar quando vocês falam em dieta total porque ele viu esse um baita de um negócio para os produtor ali da região de Lajeado aí daqui a pouco os cara vão estar vendendo sacadinho né E e aí tem duas questões aí que eu gostaria de colocar para vocês seguindo ainda na

Linha do dos das possibilidades né de material sequestrante o Francisco de Assis Lamar ele fala no farelo de integral de mandioca eu confesso para vocês que eu não não conheço esse material não sei de qual região que o Francisco tá tá se referindo né se de repente puder colocar aqui Tu conheces o

Marte o Francisco De alguma localidade se vocês têm experiência também com essa com essa possibilidade E aí quando a gente tá falando nessa questão do do do do ensacado né eu pulei lá o Jean ele falou que ele gostaria de saber as principais pontos positivos e negativos para a produção de silagem

Sacada O que que ele precisa fazer para evitar perdas né É aquilo é aquilo que a gente tentou conversar no início né questão da fermentação né então seria esses dois dois pontos aí que o pessoal tá nos perguntando aí a farinha de de mandioca aí não seria farinha de

Mandioca seria um farelo de mandioca e a questão da da perda em silagem ensacada tá tá posso começar falando aqui Jorge eu sei que é falar algo nesse sentido aí pode atacar que o Jorge deu um delay eu acho tá tá bem assim ó em relação ao

Farelo de mandioca Eu também não conheço o ingrediente mas na prática se ele não tem fatores anti-nutricionais e tem alta teor de matéria seca com uma granulometria fina você pode utilizar não tem problema tanto é que se faz silagem de mandioca né da Porção aérea e alguns casos com

Resto tem experimentalmente tem dados com isso também dá para fazer dá né Eu sempre brinco que aquilo é como um moedor de carne se você coloca carne ruim no início do processo sai fatalmente carne moída ruim lá no final mas se você coloca algo bom ali no

Início Sabe manejar aquilo você vai ter um produto bom lá no final tá então em teoria dá para ensinar Praticamente tudo que você imaginar de ingredientes né em termos zootécnicos dá para fazer o processo Tá mas atenção a fatores anti nutricionais balanceamento e ração da dieta que que

Vai fornecer em termos de nutrientes aí para os animais e homogeneização que imagino eu que seja um custo mais acessível na região eu não tenho certeza mas pode ser que esse esse farelo de mandioca ele se refira a o produto da extração da fécula E então é um produto que tem um

Residualzinho de amido E fibra e essa capacidade de absorvente sim mas o valor nutritivo não é dos melhores porque na verdade o amido foi foi todo retirado ali na no processo da fecularia né Eu não tenho certeza se é esse o produto que tá falando mas é provavelmente ser Francisco se puder nos

Dar mais algumas informações aí no chat a gente a gente agradece e é que falasse uma coisa que despertou uma observação aqui do Victor Oliveira né com relação ao uso do farelo de arroz ele fala que a questão do risco né de alto teor de gordura poder prejudicar na

Questão da microbiana ruminal durante o consumo isso também alteraria a questão da fermentação da silagem daqui a pouco vamos imaginar que tu faça aquela conta que tu foi dizer seria Rabelo de colocar 890 kg do Milho da cidade de milho e 110 kg de arroz engordurado isso teria algum

Problema aí na no processo alimentativo se ele usasse essa quantidade de farelo de arroz para como sequestrante não em termos fermentativos a gente não tem observado grandes problemas Quando se utiliza algum subproduto com alta quantidade de extrato inteiro né já tiveram vários experimentos aí no Brasil com diferentes produtos isso

Produtos ricos em extrato eterno mas o principal problema é que a gente enxerga dentro do Rumo né em termos de biogenação ali a questão toda de fermentação nominal né prejuízo para bactéria fibralítica mas em termos de fermentação dentro do Ciro não tem sido observado Aliás o Jorge trabalhou no trabalho de

Pesquisa que lembrava muito com o uso do arroz na alimentação né Jorge talvez fosse importante fazer algum algum relato com relação a isso porque sempre fui cria-se aqueles mitos né da questão do uso do farelo de arroz do uso do Arroz não sei se eu gostaria de

Complementar essa questão que o que o Vitor Levanta aí com relação aos teor de gordura no farelo de arroz e do ponto de vista do ponto de vista da dieta do possível possível distúrbio fermentativo no Home né que que o farol de arroz integral pode causar eu diria que é muito fácil de

Contornar isso né usando um pouquinho mais de calcário calcítico na dieta todos todas as dietas que se usa com até suplementação com diretamente com o farelo de arroz né a recomendação em torno de 4% de calcário calcítico em relação ao a quantidade de farelo de arroz basicamente por duas coisas porque essa

Essa gordura ela tende a complexar com cálcio Então ela ela sequestra cálcio digamos assim no ambiente ruminal então por isso que se recomenda um pouco mais de calcário e porque O farelo de arroz ele tem uma relação cálcio fósforo muito desbalanceada então por isso se agregar um pouco mais de cálcio para melhorar

Essa essa relação na dieta fora isso eu não sei Carlos se tu tens alguma coisa mas a questão principal eu acho mais limitante do farelo de arroz integral seria a oxidação né a oxidação aquele o sabor e o odor de ansificação dessa dessa gordura e aí eu não sei eu trabalhei

Alguma alguma coisa com silagem de girassol e um problema que a gente tinha era isso aí de betoxidação da que eram eram materiais tinha um teor de um extrato eterno mais elevado né e parece que tinha alguma alguma algum problema de consumo em função dessa dessa ramificação da gordura

No farelo poderia acontecer isso aí mas uma coisa que se acontecesse eu diria que não seria um problema maior porque hoje até mais fácil de encontrar no mercado farelo desengordurado do que o farelo integral né em relação a esse problema Jorge eu não tenho experiência Não não nunca

Trabalhei com farelo de arroz assim inclusão direto em silagem mas pelo que eu sei em teoria não seria problema mas em relação ao consumo desempenha e eu não tenho experiência com isso ó beleza guri Olha só respondendo a outra pergunta Sérgio sobre silagem sacada era isso isso isso

Já ia pular essa aí já tá então vamos voltar lá nessa produção de silagem sacada que hoje a gente vê Brasil afora né porque é muito fácil de comercializar muito fácil transportar mas a gente vê uma quantidade de erros Absurdos na produção de silagem sacada né não é porque que você colocou dentro

Do saco tá ok que você tem selagem boa qualidade ali não funciona dessa maneira né a gente tem algumas premissas para a produção dessa silagem sacada tá Então vamos lá primeira delas é qualidade do filme plástico porque a maioria dos sacos que eu veja a qualidade é muito ruim né é um

Material parecido com que a gente tem aí de lonas pretas em lonas dupla face Vale lembrar que esse material aí é a base de polietileno e que com temperaturas mais elevadas ele dilata os microporos e permite entrada de ar Então não é surpresa quando a gente pega a maioria

Da silagem sacada Bota a mão a silagem tá quente Esse é um indicativo Claro que tá tendo problema no processo de fermentação Porque se é silagem tá quente isso tá sofrendo estresse com ar a respiração que causa aquecimento da cidade então se ela tá quente em algum sinal alguma coisa está errado tá

Então tome cuidado com a qualidade do filme plástico de saco tem que sempre priorizar melhor qualidade possível eu não sei hoje no mercado se a gente já tem para sacos aqueles que são constituídos à base de poliamida Ouh Até onde eu sei eu acho que a gente não tem isso disponível para

Comercialização como as lonas de baixa permeabilidade oxigênio que a gente já tem para ser de larga escala tá segundo o pessoal conhece mais como barreira de oxigênio é Carlos isso barreira de oxigênio segundo ponto compactação né a gente tem aí materiais para compactar isso dentro do silo e tem equipamentos que fazem compactação

Vertical e compactação horizontal na minha experiência que os materiais que fazem compactação vertical em cima para baixo tem chegado em maiores densidades da tua cidade então se você tem maior densidade logo você tem menor estresse com oxigênio tá e o terceiro ponto fundamental também utilização de inoculante bacteriano qual

Hetero fermentativo porque esse é um material vai ficar maior tempo em contato exposto ao oxigênio então adiante mão você sabe que isso é um baita problema na produção de silagem então é obrigatório o uso de inoculante bacteriano hetero fermentativo para a produção dessa silagem e quando que eu

Vou adicionar lá no momento do corte da forragem tá é no momento do corte não se eu vou vender a silagem daí eu aplico inoculante não é que aí ele não tem tempo hábil para fazer o trabalho dele e até eu esqueci o Quarto e último ponto

Que é assim ó Quem produz silagem sacada O ideal é primeiro produzir silagem em silo de larga escala seja trincheira ou superfície por quê nesse cenário você consegue compactação maior você vai ter uma densidade maior da tua silagem logo você vai ter um perfil fermentativo melhor maior produção de ácidos vamos

Lembrar o princípio da conservação de silagem meio anaeróbia associado com meio ácido tá então para você ter maior vida útil da tua silagem você tem que primeiro produzir ela bem e depois retirar do silo ensacar e não produzir diretamente no saco Produza num silo grande e depois em saco posteriormente

Olha só que beleza de informação essa aí hein pessoal o Francisco de Assis Ele tá dizendo a diferença né nesse processo de transferência transferência do silo Grande para o saco né Carlos Exatamente porque ó a gente tem transferência do silo Grande para o saque você tem estresse por oxigênio entrou oxigênio de

Novo na massa instalada quem que vem aí nada de braçada leveduras principalmente quero combater levedura quem que faz isso bactéria hétero fermentativa principal delas é o lactobacilos Kennedy tá hoje a gente tem no mercado outros outras bactérias como lactobacilos RioCard tá que vão produzir ácido acético ácido acético é vinagre

Antifúngico ele que vai reduzir a população de leveduras e pensando em outros cenário que tem gente que produz a selagem e na sua propriedade depois comercializa granel vai ter efeito de oxigênio Então tem que ter ação do aplicação do inoculante hétero fermentativo é obrigatório nesse caso Beleza

O Francisco de Assis ele fala aqui que a questão do farelo de mandioca é a raiz da Mandioca junta parte aérea triturada e seca tá então Ele nos esclarece aí e o Marcelo pessoal faz um relato bem interessante aqui com relação a essa dificuldade já mencionada pelo marketing

No início da nossa conversa né que é com relação a essa janela Curta por plantio de milho ele fala aqui das dificuldades climáticas para que a planta consiga concluir concluir o ciclo né então como só para atualizar quem chegou agora na nossa na nossa Live aqui nós estamos

Falando sobre problemas né que os produtores têm encontrado em fazer silagem de planta de milho que não atingiu o seu ponto ideal né de corte né então o que que a gente pode fazer nós já trabalhamos aqui a questão do uso de absorventes né tanto os absorventes que

São os insumos aí que se utiliza casquinhas milho fubá assim por diante E também o uso de inoculantes né então a gente tá debatendo aí esse esse tema E aí surge Então essas questões que são são levantadas pelo pelo pessoal aí e no início uma arte falou uma questão que

Era importante a gente também pensar em em futuro né que se por acaso o produtor não conseguir né Com todas essas opções todas essas alternativas não consegui sucesso na cidade de milho daqui a pouco ele vai ter que pensar numa estratégia de material de inverno né hoje Embrapa

Já tem materiais de inverno precoces para silagem né trigo agora lançou uma uma cevada entre safras de ciclo curtíssimo né com 90 e poucos dias é para tal material pronto para ensinar quer dizer então tá surgindo materiais com esse propósito aí que o produtor possa utilizar E com isso

Fazer vamos assim né utilizar a área como é a dificuldade o pequeno produtor tem de ter área ocupado mais maior parte do tempo e aí dentro dessa linha a Carla roxa que ela fala o seguinte pessoal no caso de uma silagem de valor energético inferior que a gente

Tá tratando né a cidade que não conseguiu formar o grão ainda diminuiu o valor o teor energético é poderia incrementar depois na hora de fazer o trato né com uma silagem de sorgo ou de trigo pode ser feito né Depende da formulação Qual que é a formulação que vai ser

Considerada na alimentação desse gado de leite é o gato de corte mas se envolve mais volumosos não tem problema nenhum né vamos lembrar aí que o Jorge disse pontuou muito bem no início aqui da conversa que o amido mais barato é aquele produzido dentro da fazenda né

Eu acho que uma coisa que que não dá para a gente deixar eu acho que esse aspecto agora quando você falou na cereje de inverno a gente não pode deixar de abordar porque eu acredito que uma solução potencial para esse problema que tá faltando tá faltando o tamanho da

Janela para o milho né então é como Bender falou agora tem os materiais aí tem o criticarly eu que tenha andado muito bem é isso a criticar ele não é tão curto né mas tem os materiais tem uma cevadas aí mas cevadas com ciclo curto que eu que eu acredito que pudesse se

Encaixar nessa janela e Inclusive inclusive produzindo uma silagem aproveitando o gancho aqui de dessa questão de misturar outros volumosos para compor dieta tal inclusive o produtor pode se beneficiar disso dele ter um filho de milho Mas ele tem um silo desse material do inverno que é mais protéico que muitas vezes agregam

Um pouco mais de fibralonga que a silagem de milho se tem um pouco de de dificuldade em relação a efetividade dessa fibra né para a ruminação e tal e essa silagem desses materiais de inverno elas elas conseguem agregar um pouco mais de fibra efetiva também agregam

Amido se quando se em Sila já com o grão formado e são materiais Mais proteicos também que podem gerar uma uma economia no concentrado no ingrediente proteico do concentrado então talvez talvez seja uma coisa aí é uma questão mais assim de discutir particularidades dos aspectos climáticos tá para ver quais materiais se

Encaixariam mas mas eu vejo assim como uma saída uma solução em potencial muito boa talvez ao invés de fazer essa fria começar a pensar começar a pensar nesses nesses materiais de ciclo curto que inclusive pessoal mesmo lá de Passo Fundo tem tem fomentado né a possibilidade de fazer

Uma cevada em um trigo durante esse ciclo de inverno aí que vai de Março aí até até setembro outubro se fazer uma de cevada e uma de trigo ainda na mesma na mesma área acho que podem podem ser alternativas boas aí a serem a serem consideradas uma outra coisa em relação

A esse material já não tenho o que fazer produzir esse essa silagem que não tem tanta qualidade se houver a possibilidade de usar esse material com categorias menos exigentes do rebanho a essa também pode ser já que bom tá feito não tem o que fazer essa silagem tá no

Silas material tá no silo e eu sei que não tem muito boa qualidade então tentar priorizar para as vacas de maiores exigência nutricional vacas de melhor mérito genético e vacas em início de lactação um material bem melhor qualidade e aí para animais para vacas seca às vezes para pré-parto inclusive

Para preparo é uma das coisas que se recomenda usar usar o volumoso Mais Mais maduro mas de mais baixa a qualidade porque não tem tanto potássio e tal e diminui o risco da ocorrência de hipocalcemia pelo partitural né da febre do leite se usar um volumoso então

Tentar de alguma forma na medida do possível a gente sabe que na prática Nem sempre dá mas na medida do possível usar esse material de menor qualidade para categorias menos exigentes do rebanho Também seria uma alternativa né Ótimo ótimo gente só para contribuir com a tua fala Rabelo o Mário Adolfo aqui

Ele disse que ele faz silagem lá né e fura tudo né as lona disse que ele tá concordando as Lonas São tudo ruim então fica aí um alerta né fica um alerta aí para quem tá nos acompanhando né que quando for fazer a silagem né que observem essas questões que o que o

Cabelo levantou da importância da qualidade do material a gente já viu né e pessoal de matéria com certeza viu muito mais produtor faz todo investimento né gasta um monte de dinheiro para depositar no monte E aí bota uma lona reciclada em cima né ou reaproveita

Lona de três quatro anos né aí dá uma infelicidade de uma intempere alguma questão climática algum problema mecânico aí e ele não percebe quando ele vai abrir o silo tem lá no meio do silo um buraco que toda a água da chuva entrou dentro daquele estilo e aí ele

Vai se dar de conta que aquilo tudo é material que não vai conseguir aproveitar o prejuízo isso tem né é uma coisa que às vezes a gente não se dá de conta né só quando a gente vê o problema e falando nessa questão da lona Eu lembro

Que uma vez tu comentasse com relação a um até tu fizesse um experimento em Teutônia com o ex aluno teu né com o uso de lonas de baixa permeabilidade né Tu poderia falar um pouquinho sobre essa questão da importância dessa desses materiais novos que estão surgindo aí

Vamos lá sim pontuar esse essa questão que ela é importante né é assim ó basicamente os produtores não só aqui do Rio Grande do Sul Santa Catarina Mais Brasil de forma geral a maioria deles utilizam lonas pretas ou dupla face para cobrir a sua silagens né porque porque o

Custo é mais em conta tá quando a gente olha para esses materiais de baixa permeabilidade oxigênio que são as barreiras oxigênio aí elas são obviamente mais caras porque porque elas têm uma tecnologia melhor ali são materiais hoje principalmente que são composta base de etileno vinil álcool o tal do Eve né

Daí o custo para aquisição dessa lona é mais caro eu não vou saber exatamente qual que é a porcentagem enquanto que é mais caro mas a 3 4 anos quando eu fiz esse experimento era em média 60% mais caro esse material em relação a lona preta e dupla face tá

Qual que é a vantagem dele ele reduz em 100 vezes a passagem de ar para dentro do silo 100 vezes comparado com lona preta e lona dupla face tá e daí o que que o produtor enxerga Ele não enxerga isso Como investimento ele enxerga isso como custo

Vamos lembrar lá que na produção de silagem quando você pega desde a aquisição de sementes plantio todo o trato cultural o custo da lona no peso disso tudo ensinando peso da lona é menos de dois por cento de todo o processo e ele acha muito gostoso

Investir em lona que são os dois por cento ali né de acordo com dados lá da Esalq hoje 57% da produção de silagem vem só com fertilizante 57 Daí vamos pensar no cenário aqui que eu hoje tá quanto para fazer um hectare de milho eu tenho dados lá da cepei Esalq

Que para fazer um hectare está em torno de 9000 hoje média Brasil né então não tá barato para produzir isso lá de milho então o produtor ele tem que começar a olhar para o silo dele e ver que o que ele tem estocado debaixo da lona não é só

Forragem ele tem estocado ali muito dinheiro muito dinheiro que ele investiu então eu sempre brinco quando eu falo sobre o assunto vocês aceitariam que eu desse na mão de vocês 50 mil reais vocês aplicasse no banco e ano que vem vocês encontrasse lá 30 mil ninguém sairia satisfeito com essa

Aplicação né Mas normalmente serve Mas normalmente é isso que o produtor faz né ele ensina lá sem toneladas vai abrir o selo encontra 80 70 e não se dá de conta o quanto que ele tá perdendo no processo então nona não é curta investimento tá E daí eu trago o exemplo

Desse desse experimento lá em Teutônia que a gente gastou né gastou 60% a mais com aquisição da lona de baixo permeabilidade oxigênio só que na maioria das vezes essa lona ela não vem com aditivo contra raios ultravioleta tá então ela não pode ficar exposta diretamente ao sol você tem que cobrir

Ela com outro material e daí você pode utilizar nesse caso a lona preto ou dupla face e bota em cima dela tá eu acho que eu vou até compartilhar aqui a minha tela de novo Sérgio para mostrar que eu tenho fotos desse experimento seria ótimo enquanto enquanto Carlos compartilha a

Tela ali só chamar atenção que de repente nem nem todos têm essa essa ciência de o que que acontece Enquanto Tiver oxigênio nesse ambiente aquele carboidrato que que vai ficar armazenado que vai servir como ingrediente energético na dieta para o animal depois Enquanto Tiver oxigênio esse esse carboidrato ele é fermentado

Completamente até se CO2 e água ou seja a energia se dissipa completamente e talvez essa perda que o Carlos se referia ali que o cara bota sem e quando vai tirar do silo tem 80 70 muito disso se refere a essa perda por fermentação aeróbica dos carboidratos em que toda a

Energia é convertida é se dissipa né e os resíduos e os produtos finais dessa fermentação são CO2 e água exatamente o Jorge muito bem pontuado né a gente tem perdas aí se perde esse laje de duas maneiras uma efluente que é o caso que a gente está comentando que é o

Problema aí em Santa Catarina e a outra na forma de gás né você perde dessas duas maneiras por fermentações indesejáveis Vocês conseguem enxergar aí a foto Sérgio tá perfeito então aqui o experimento ele foi feito em Teutônia norte do estado aqui do Rio Grande do Sul e lá a gente tinha três

Filos superfície cada um enchidos preenchidos aí com 60 toneladas de forragem de milho tá nos três estilos a gente utilizou dividimos eles de maneira longe tô de mal de forma que a metade dele foi coberto com lona preta essa lona preta aqui não se engana que

Não é a lona preta ruim essa é a lona de baixa permeabilidade oxigênio só que a gente encontra no mercado cor preta cor laranja Azul encontra de diferentes cores tá Então essa lona preta aqui ela permite 100 vezes menos a entrada de oxigênio bom e do outro lado aqui a gente teve

A lona de dupla face então metade aqui lona de baixa permeabilidade oxigênio e ela obviamente foi coberta com a lona dupla face porque ela não tem tratamento contra raios UV ela precisa de uma proteção para isso e do lado esquerdo aqui a gente teve só lona dupla face tá

Então convencional contra barreira de oxigênio resultado desse lado aqui perda superficiais foram 27% ou seja perdeu mais de um quarto aqui essa lona reduziu as perdas para 19% Então teve uma redução de oito quase oito pontos percentuais tá parece pouco o efeito né para investimento que foi

60% mais caro e ainda eu tive que tapar ela com lona dupla face resultado do experimento tá que a gente tem que fazer contas não custo da forragem mas se um custo dar silagem o custo da silagem aqui comparado com essa daqui foi mais barato em função da utilização da lona de baixa

Permeabilidade oxigênio a gente teve um retorno líquido de quase 11 reais por tonelada de matéria seca tá então se a lona custa menos de 2% de todo o processo o produtor ele tem que investir em lona de boa qualidade não anda de baixa qualidade né que isso várias

Experimentos já foram feitos na Itália América do Norte aqui no Brasil em estilos grande escala isso mostraram sempre muito positivos a utilização dessa lona de baixa impermeabilidade de oxigênio mas até a condução desse experimento não tinha nenhum experimento em pequenas propriedades com Silas superfície em que o desafio é maior porque tem

Área de exposição ao oxigênio maior mas depois da condução desse experimento a gente teve muito claro que mesmo ensino pequeno o produtor tem que utilizar a lona de baixa permeabilidade oxigênio porque o retorno é garantido economicamente e isso a gente parou a avaliação só até a

Abertura do silo mas Óbvio Se a gente fosse continuar o experimento levando isso para o coxo para vaca de leite isso certamente representaria é maior produção de leite tá então a gente teria ganho em duas vias ganho em redução de perdas dentro do silo e maior produção animal

Perfeito o cabelo é mudando só um pouquinho agora de nós estarmos abordando o tema material verde né a Simara lobison ela muda a página né que foi um cenário que aconteceu também na nossa região né que foi estiagem e ela ela coloca isso né se no caso da planta passada do ponto né

Amadureceu a força aí por conta da estiagem né Qual o procedimento indicado para silagem não ficar seca e com pouca fermentação no caso de milho é esse muda completamente o cenário né Sai de um problema que é colher antecipado automidade e passa lá para o lado oposto que é colher posteriormente

Ao ponto ideal né é uma coisa que ainda eu não comentei mas que vale para qualquer uma das dos dois erros é capricha na compactação todo o processo de ensilagem qualquer etapa dele é fundamental para a gente garantir maior preservação da forragem mas se eu tivesse que destacar um um

Único ponto é compactação e eu sempre brinco com os meus alunos dentro de sala de aula que agrônomos até que nesse ele aprende cresce nascendo e fala assim ó falando sempre para qualquer resposta depende né E isso às vezes traz uma conformidade enorme para aluno e até mesmo para a

Gente né que a gente gosta de resposta pronto mas dentro da Agronomia dentro das etnia poucas coisas você vai encontrar a receita de bolo e uma delas tá na compactação mas que ninguém faz passar aqui uma receitinha que já foi publicada lá no ano de 95 no Jornal dos jornais mais importantes

Que a gente tem na área né pela comunidade Americana e lá eles deixaram a segunda a seguinte recomendação é a recomendação prática que todos técnicos produtores tem que usar em relação a compactação vamos lá primeiro quanto tempo tem que compactar a minha forragem é uma dúvida eventual que todo mundo pergunta quanto tempo

Existe lá relação uma a uma vírgula duas vezes o torno de colheita que que isso significa se o cara tá lá na roça de milho na lavoura colhendo por 10 horas o material você tem que ficar em cima do trator no silo de 10 a 12 horas compactando

Tá é isso significa uma a uma vírgula duas vezes o torno de colheita Então vamos lá tempo peso do trator tem relação tem tem que ser no mínimo 40% do peso de forragem transportada por hora então se por hora chega na boca do silo 10 toneladas de forragem picada para ser

Compactada o peso do trator tem que ser no mínimo quatro toneladas tá aí se não for bota água nos pneus bota peso no lastro dianteiro traseiro tenta aumentar o peso do trator não conseguiu ter o espaço tem espaço para andar dois tratores em cima ou mais Coloca mais tá

Então tem que buscar essa atingir esse valor e outro ponto chegou camada de forragem carretão lá caminhão com forragem para espalhar e compactar isso leva uma camada de no máximo 30 cm de altura não mais que isso porque a compactação é prejudicada então tanto no cenário de colheita antecipada como colheita tardia capricho

Na compactação na colheita tardia o desafio é grande porque quais os equipamentos mais comuns que a gente tem para colher esse material ensiladeira de arrasto aquela tracionado por trator né Que deve ser o cenário aí do Vale do Taquari né O Martin maioria tem equipamento esse equipamento ele foi feito para

Processar principalmente forragens com 30 34% de matéria seca quando você passa de 34 o desafio é imenso você conseguir processar bem tamanho de partícula e grão tanto é que quando a forragem tá passada de milho você começa a enxergar a folha inteira a palha inteira do sabugo no material esse

Lado você começa a ver rodela de sabugo com os grãos né Porque aqui não é equipamento que precisa tá muito bem regulado para processar esse tipo de material e mesmo assim um desafio é grande então o que que o produtor tem que fazer nesse cenário ajustar faca espaçamento faca contra

Faca e qual que é o espaçamento tem que passar uma folha de papel Esse é o espaçamento ideal tá faca contra faca que que você tem que fazer afiar faca quantas vezes uma no início do processo de colheita duas não tem que ser no mínimo duas vezes por dia cara saiu de

Manhã para colher Afia a faca parou para almoçar vai retornar à tarde a filha a faca fundamental para reduzir esse tamanho de partícula vai ser um desafio para o equipamento tá e usa a inoculante heterológico porque muito grão difícil compactar vai estar mais propensa deterioração fundamental usar inoculante hetero fermentativo o

Mesmo que vai usar em silagem sacada tá e se tá muito passado além de 41 42% de matéria seca eu posso colocar água é uma alternativa tá para reduzir o teor de matéria seca favorecer compactação e fermentação e daí o cálculo vai entrar mais ou menos naquele lá que a gente mostrou

Anteriormente para para para uso de algum concentrado para aumentar o teor de matéria seca nesse caso é o contrário você quer abaixar Tá mas tem essas possibilidades perfeito perfeito acho que a Simara ficou satisfeita Mas se por acaso tiver alguma dúvida Simara pode colocar aí no chat né

Alguma dúvida que tenha ficado nessa questão de um material já passado então aí eu aproveito o pessoal aí faço a pergunta também que a gente comentou lá no início né teve alguém comentou com relação a misturas né nesse caso né a orientação é a mesma anterior aquela

Com relação a misturar botar de repente eu tenho milho passado botar um sorgo novo um capim alguma coisa nesse sentido a ideia mesmo não se recomenda esse tipo de manejo é isso pessoal olha para mim continua a mesma resposta Sérgio muda o cenário mas eu não enxergo isso como vantagem operacional logística

Ou mesmo em termos fermentativos até porque muitos trabalhos experimentos já foram conduzidos e mostraram que de fato não tem essa vantagem de fazer você não tem ganhos fermentativos e nutricionais então não enxergo isso como uma possibilidade para ser trabalhada Tá perfeito Jorge queria complementar alguma coisa

Eu não porque eu dá uma tentação do cara fazer isso né Às vezes dá uma vontade de fazer o aproveitamento daqui não não falou que não dá ó os colegas os colegas da matéria que estamos assistindo deve ter pensado nessa hora quanto o produtor chega para o colega de matéria lá no

Municipal diz assim olha eu queria plantar para misturar uma silagem de soro com de Milho ou de capim Qual é a data que eu planto para dar certo os dois não acontece isso Marte toda hora no campo aí acontece sim tô rindo aqui esse dia ainda havia uma reportagem Aí aumentar

Teor de proteína também uma série de coisas eu só gostaria de fazer uma pergunta para o professor Carlos que antes quando ele falou da das ensilhadeira de arrasto eu fiz assim né com certeza predomina mas as auto-propelidas estão entrando bastante aqui né então eu gostaria que o senhor

Fizesse um comentário sobre essa questão do tempo de compactação porque o tempo de colheita é muito mais rápido os dragões aí é de caminhão não é de vagão que vem né É muito mais rápido que eu penso que esse é um é uma fase como o senhor disse que é uma das mais

Importantes que está sendo não está sendo bem é daí quando trabalha com autopropelido ou mar que eu entenda a tua pergunta e é Um Desafio imenso porque comparar eficiência na colheita É covardia entre autopropelida e tracionada por trator né dependendo de partícula outras tantas coisas né exatamente então o que que você faz

Nesse cenário quando você tem uma máquina que escolhe aí dependendo se a área tá boa para andar um hectare e meia hora né chega muito volume na boca do silo eu tenho que ter manter em mente o tempo de compactação e peso do trator não tenho

Como manter essa relação de tempo e peso o que que eu faço começa a usar dois Silos três Silos em vez de fazer um único selo tá porque aí esse material vai chegar fracionado vai chegar o caminhão no silo um depois no ciclo 2 5

3 tá E daí com esse eu ganho tempo para o trator compactar esse material e daí Ajusta a relação de peso também Então essa é a recomendação prática se eu tenho uma autopropelida em vez de trabalhar com um estilo grande passa a trabalhar com dois ou mais finos

E aí você consegue seguir dentro dessa receita e otimizar a compactação é crucial fazer isso Ótimo ótimo o pessoal aqui tá gostando do assunto lona né aí teve um comentário do Mário né ele fala que o Ciro bolsa é melhor e na sequência o

Meu van diz se o bolso é uma boa opção Então vamos plantar para o especialista né se o Ciro bolsa é o melhor e se ele é ou se ele é simplesmente uma boa opção o silo bolsa Aí só para eu tentar falar corretamente é o deck que eles chamam aquele salsichão comprido

Isso exatamente aquele assim ó tem materiais de boa qualidade tá E nesse tipo de estilo é fundamental trabalhar com Material Plástico de boa qualidade porque é ele que vai conferir todas as paredes para o Silas você consegue produzir silagem boa em sino bolsa estilo bag sim altamente dependente da escolha do filme

Plástico e do material que tá entrando dentro do silo tá vamos lembrar que para ter esse laje boa qualidade você tem que ter planta de boa qualidade dá para fazer silagem boa nesse cenário dá tá Daí eu cito uma das vantagens do silo Boss tá que para mim são uma das

Cruciais para utilização dele que não é nem relação a qualidade filme plástico mas sim logística dentro da propriedade eu consigo fazer ele em qualquer lugar dentro da propriedade né eu consigo levar ele para perto da se eu tô trabalhando com confinamento perto do confinamento tô trabalhando com gato de

Leite Estadual consigo deixar ele perto isso é vantagem porque se a gente vê o custo do diesel hoje tá lá nas alturas eu não vou reduzir tempo operacional dentro da propriedade com isso eu reduz o custo Tá mas fundamental olhar qualidade tem um plástico até parecendo bolsa de melhor qualidade melhor qualidade

Perfeito é o legal desses eventos Eu não sei se vocês percebem como eu mas assim a diversidade de dúvidas é muito grande né então a pouco nós estamos falando aqui de uma automotriz né quer dizer é um tipo de público é um produtor daí daqui a pouco vem uma

Pergunta com relação ao auxílio bolsa e Conceição aqui pergunta o seguinte pode ser usado em bombonas né porque essa pergunta dele eu faço uma interpretação né ele pode até me corrigir né mas a gente tem por outro lado pequenos produtores né que tem muitas vezes pouco material até mesmo utilizando uma um triturador

Daqueles pequenininhos né como é que vocês veem essa questão da Conservação da qualidade desse material quando ele precisa fazer isso utilizar um maquinário que não é o ideal né mas é o que ele tem né e muitas vezes guardar numa bombona por exemplo que é um material que ele tem disponível

Que responder essa daí o Jorge eu evitaria a bombona iria para o saco então né porque vai ter uma dificuldade de conseguir compactar esse material dentro de uma bombona né e e no fechamento também vai ficar vai ficar um espaço de ar Então acho que a opção não sei

Não sei como que o Carlos veio isso aí mas eu eu vejo eu vejo muito difícil conseguir conseguir compactar conseguir não deixar um espaço de ar ali na hora do fechamento de uma bombona do antonel né então optaria pelo pelo saco né sim se a gente olhar a questão da bombona eu

Mesmo já fiz experimentalmente a nível experimental se faz bastante aqui no Brasil quando você vai trabalhar com alimentação de ovinos principalmente né Qual que é a dificuldade é essa que o Jorge citou compactação vai ser por pisou tem um ano né fatalmente não vai ter outra possibilidade compactar esse material

Então eu enxergo a questão da silagem Sacada em termos operacionais mais fácil do que fazem bombona também né E sem contar né que tem essa questão do pós abertura né dificilmente o doutor vai utilizar uma bombona no dia provavelmente ele vai utilizar por mais

De um dia e aí quando ele abre Entra lá e é que dependendo do tempo que vai levar para consumir aquela bombona todo quando chegar lá embaixo fica batata podre exatamente e assim ó toda a remoção vai ser manual não tem outra maneira de você retirar a silagem da linha não ser

Manual então é um trabalho braçal difícil esse ponto que você comentou de oxigênio é um problema que não tem Como contornar porque na medida que vai utilizando esse lado vai entrar oxigênio esse produtor Vai tapar bombona todo dia precisa porque senão começa a chover vai acumular água lá dentro e aí perde toda

A cidade mas mesmo assim você tem um efeito deletério do oxigênio vamos lembrar que o oxigênio é um baita problema para selagem seja no momento de fazer esse laje ou depois que abrir o seu os dois momentos causam perdas perfeito perfeito é que tem um outro

Lado que o pessoal não comenta aqui né mas quem já fez né sabe o tal do rato né o o Quando tu começa a fazer silagem sacada e começa a empilhar aí gente do céu aquele camundongo ele aparece naquelas pilha e vai furando um por um

Ele não se contenta em só buscar comida num saco né ele fura todos e aí o problema é terrível né então tem esse Outro fator também acaba interferindo E aí às vezes o cara vou usar uma bombona porque o rato não vai entrar aqui dentro né para

Comer minha silagem né E daí traz outros problemas mas isso com o rato é complicado eu entendo que é complicadíssimo né Por exemplo só para citar uma propriedade aqui no Rio Grande do Sul a granja quatro irmãos que é a propriedade grande aqui parou de fazer

Silagem de grão por causa de tatu tatu começou a rasgar os cílios bolsas e não tinham que eles fazerem simplesmente pararam de fazer Que loucura né Que loucura eu iria dizer isso aí que além do rato tem tem problema com tatu mesmo Puxa vida pessoal o roblem que é o nosso colega da

Matéria de Santa Maria o acidente técnico ele faz uma outra Bota outra ingrediente na nossa silagem aí ó eh usar a leguminosa ele cita um exemplo aí do feijão miúdo né junto com o milho ou sorgo pode ser uma boa alternativa para aumentar o teor de proteína bruta e como

Fica a relação em relação ao poder tampão dessa leguminosa é vai ter que dar uma voltada ali para falar que essa das misturas Mas vamos imaginar que o cara que queira né a proposta dele é essa Eu quero aumentar o teor de proteína na minha silagem porque o curso

Da proteína tá alto né ele planejou para colocar o feijão miúdo ele assim né como é que vocês vê isso aí é complicado essa essa questão mas vamos supor que o cara queira fazer independente da recomendação né bom aí eu sigo com a mesma recomendação que eu não enxergo vantagem entre gramínea

Gramínea ou gramínea e leguminosa até porque se a gente olhar para gramínea e vamos pegar as principais que são utilizados para produção de silagem que é milho capim cana-de-açúcar todas elas são energéticas então não tô olhando para proteína bruta tá proteína bruta eu vou complementar por meio de concentrado

Ou fazer um pastejo direcionado com os animais tá mas o cara quer colocar tá vai causar problema em termos fermentativos depende da mistura tá tem um trabalho que já foi conduzido lá na UFLA com silagem de dieta Total se eu não tô enganado eles usaram 10% a dieta Total continha

Próximo de 10% de proteína bruta não teve problema na fermentação tá da silagem mas o quanto a gente vai utilizar desse ingrediente na mistura pode ser um problema porque se olhar para a capacidade tamponante o fator preponderante para aumentar a capacidade tampão é proteína bruta da forragem quanto maior quantidade de

Proteína bruta mais difícil é o PH reduzir aí nesse cenário eu sou obrigado a usar inoculante homótico porque vai usar o açúcar disponível que tem na planta para produzir ácido lático dentro do selo ácido lático é o mais forte ele é 10 vezes mais forte que ácido acético

E que ácido propiona então ele que vai fazer o PH cair então por exemplo se eu ensino leguminosas exclusivas e tem silagem alfafa se laje soja resíduo de soja eu sou obrigado a usar o inoculante homótico para puxar o PH para baixo tá tem um aspecto ainda que eu não sei se

Tu tem esses números caras a questão desses materiais com teor proteico mais alto É parece que sempre tende a ocorrer alguma proteíólise no silo e algum alguma presença de amônia sim sim se a gente olhar para como esse nitrogênio está disponível na planta e o processo de ensilagem É bem esse que

Você colocou processo de fermentação causa proteolos ou seja quebra da proteína em outras frações tá quando que isso acontece imediatamente após o corte Você cortou a planta independente Qual planta for enquanto ela tá na presença de oxigênio ela respira essa planta continua respirando então Além de gastar açúcar

No processo de respiração ela começa a própria ação enzimática quebrar proteína tá vai quebrar proteína peptídeos aminoácidos chegou na forma de aminoácido dentro do silo microrganismos pega esse aminoácido e converte esse nitrogênio maniacal então do ponto de vista nutricional o animal que come uma forragem e o

Animal que come uma silagem ele tem diferença em termos de utilização do nitrogênio o que come a forragem o micro-organismo é mais eficiente usar o açúcar e proteína bruta verdadeira para converter laço do gráfico volátil proteína microbiana do que aquele que come silagem porque associado ao nitrogênio moniacal você não tem mais

Açúcar e sim você tem ácidos orgânicos para serem utilizados pelos microrganismos né boa parte da dieta vai ser representada por isso então quando você olha para formulação de dieta você começa a ter que mexer na dieta botar uma fonte de proteína verdadeira que se a gente olhar sistema de alimentação tem

O frc lá da grã-bretanha ele recomenda lá que é até um número em termos simples de proteína microbiana que quando o animal tá consumindo forragem se eu não tô enganado ele vai produzir 32 gramas de proteína microbiana por quilo de matéria orgânica digestiva quando ele consome esse Lage esse valor

Cai de 32 para 23 Então você tem que começar a fazer ajuste em PDF para ter maior crescimento de microrganismos dando rumo tá então tem um impacto nutricional grande nesse ponto aí o Jorge Beleza beleza o roblen se caso ficou alguma dúvida e com relação a questão da

Utilização do feijão miúdo do prende bala ainda pergunta tá o Ederson né ele ele faz aqui uma colocação com relação acho que a questão do problema do rato né ele diz assim ó de preferência em bancada e é realmente né é uma forma da gente dar uma diminuída né Colocar essa silagem sacada

Numa bancada com aquelas proteções para que o rato não suba para evitar e esse esse problema pessoal nós vamos indo para duas horas Quase duas horas e meia de conversa de Live aqui o assunto Tá excelente que nós viemos com mais ou menos eu venho acompanhando aqui na última hora com 112 pessoas

Acompanhando não arredar o pé até agora aparentemente se não arredar o pé que o assunto Tá interessante né então eu não tenho nenhuma pergunta mas aqui específica A não ser que eu tenha pulado aqui no chat se alguém tiver alguma pergunta por favor façam aqui essa repitam se eu não se eu não

Respondi isso eu não encaminhei melhor as perguntas eu queria ouvir do marketing o marketing ele falou muito pouco né até agora ele tá mais escutando como dizer o marketing dentro daquilo que a gente tinha conversado no início com relação ao problema que vocês vêm enfrentando Vale de Taquari tu percebes que

O caminho vamos dizer assim que hoje seria o mais adequado seria pensar na substituição desse dessa segunda safra de Milho ou pelo meu caso pelo cereais de inverno ou tu acha que com essas recomendações do uso dos absorventes com relação a questão da confecção da silagem seria possível

Assim driblar esses problemas Qual a tua opinião aí por favor como é que a palavra aquela professora depende [Risadas] foi citado disse que eu estava prestando atenção tá o tempo todo que é TIM mas prestando atenção Jorge Carlos eu penso que foi foi bem tratado e assim ó Realmente nós não

Temos uma receita pronta para todos para alguns vai ser Alternativa de lavouras de cereais de inverno ao invés dessa farinha de milho para outros vai ser talvez essa até anotei aqui ó a silagem de dietas achei bonita essa palavra aí talvez ela seja solução para os produtores maiores que

Como eu acredito que o professor Rabelo que comentou a questão da mecanização Quem já tem os vagões misturadores e coisas possa mecanizar essa essa operação né pense que seja alternativa para outros produtores né e um pouco de tudo que foi falado aí hoje né Desse Se melhorar procurar

Conseguir esse teor maior de matéria Seca no ponto de colheita talvez diminuir um pouquinho esse efeito Cangaço dos produtores aí que pede que a janela seja bem mais curta do que no verão né então acredito que essa nossa conversa de hoje aí abre um pouco as alternativas né para se chegar numa

Numa melhor opção do que o produtor vai fazer nesse sentido que eu penso aqui prestando assim muito muito boas colocações dos dois pesquisadores que o teu auxílio aí acredito que é mais as perguntas que apareceram no chat quase eu não tenho acesso aqui né então são muitas dúvidas né e

Realidades diferentes também dependendo do tamanho do produtor do tipo de produtor então para cada um a questão do uso inoculantes né a diferença de um e de outro homem fermentativo aí para São opções que deve ser utilizadas para amenizar melhorar isso já que a gente não tem aquela aquele

Ponto ideal né que nem ela quebrar o milho lá ver a linha do leite lá tá bom vai mais uma semana outra coisa né Nós não temos isso Então temos que encontrar algumas alternativas para essas situações aí ótimo Marte Muito obrigado aí pela tua consideração pela tua citação né é eu eu

Gostaria de então já que nós não temos mas acho que perguntas né E também para não tomar muito tempo da audiência mas eu antes de nós encerrarmos né teve alguns comentários aqui que o pessoal fez com relação a silagem de capim a gente sabe que que existe sempre essa essa questão de

Querer comparar a silagem né que a silagem de milho é melhor a cidade de Capim melhor né Eu queria que vocês fizessem aí um se é possível usar esse termo né um ranqueamento alguma coisa no sentido de que o Jorge até deu essa introdução ele não concluiu né de

Repente por uma categoria animal tu pode usar uma silagem e tal eu gostaria que vocês fizessem um pouco essa abordagem né Como que o produtor ele pode posicionar esses materiais na sua propriedade né ele fez lá uma silagem de milho na safra né Ele sabe a qualidade que tem nível

Para laboratório sabe que tem uma silagem de ponta né é ele fez uma silagem de milho safrinha com essa dificuldade daqui a pouco ele tem lá uma ponta de capim e fez uma silagem de capim ele fez a amoxicilagem de [Música] criticar de trigo como é que vocês posicionariam

Essas esses materiais para categoria animal para Que tipo de animal o que que dá preferência o que que é possível de fazer com essa silagem que a gente vem tendo aí no no estado posso responder vou responder então [Risadas] tá bem também é difícil é difícil fazer um

Ranqueamento assim porque nada é um único padrão né assim como a gente pode ter um ano ter um milho bom outro ano milho mais ou menos só mas aquele os materiais de melhor qualidade sempre tem que ser direcionados para eu tinha comentado até no início vacas com melhor

Mérito genético e vacas em fase inicial da lactação quando a gente pensa na silagem de capim e na silagem de cereais de inverno seria de inverno até em termos Gerais e eles aportam um pouco mais de proteína eles não são nada nada mais em termos de

Energia também e acho que uma coisa eu até fiquei aproveitava perguntar para o Marcio o pessoal tem essas essas colhedoras de forragem em área total ou só as ensiladeiras de linha porque esse seriais de inverno seria interessante as colhedoras em área total nessas colhedoras em faixa pessoal antigamente tinhas tarupias de EVA tal

Não o akata capim como costumam chamar né não é a melhor máquina mas até até Dá para até dar para usar porque ela não faz um processo de picagem então tão bem feito né quanto as mais quantas mais avançadas mas esses materiais eles eles agregam também um pouco mais

De fibra longa até por causa dessa característica né um pouco mais de fibra longa que acaba melhorando A efetividade a gente vê a gente vê Alguns produtores que conseguem mesclar é com silagem de milho Às vezes uma silagem de um cereal de inverno melhora um pouco a efetividade da fibra

Né agrega alguns pontos em relação a diminui a demanda digamos de concentrado proteico que agrega alguns pontos em termos de proteína e as de capim as de capim elas elas podem entrar até produtores produtores que trabalham muito bem com formulação de dietas com animais de Alta alta produção que trabalham com prececado de

Tifton de jiggs de fazem as bolas como o pessoal menos gosta de falar mas também nesse sentido assim ó desde que tenha garantida uma relação boa entre proteína degradável no rumo e proteína não degradável no homem uma porte de carboidrato solúveis principalmente amido desde que a dieta esteja

Equilibrada essas silagem de capim elas podem entrar numa pequena proporção para ajustar a o teor de fibra é efetividade da fibra da dieta Porque que a fibra é tão importante se por um lado como a gente falou no início a fibra é aquele componente que vai encher o animal né

Como a gente costuma dizer comumente assim vai embuchar a vaca e ela vai ficar cheia e só vai voltar a fazer uma refeição depois que esvaziar o rumo da mesma forma que essa fibra enche o animal essa fibra é necessária porque o principal fator determinante do equilíbrio do homem essa elevação né

Então essa fibra é muito importante para garantir a ruminação e essa elevação para manter um equilíbrio um equilíbrio de PH do ruim nesses casos nesses casos É possível usar essas silagem de capim então para vacas de alta produção desde que haja um ajuste fino da dieta esteja sob controle

De outra forma seria assim usar para vacas secas para vacas para vacas em final dilatação que tem uma demanda energética Uma demanda nutricional mais baixa né como a gente comentou também acho que vale a pena reforçar essas esses materiais mais maduros assim mais passados utilizados no pré-parto eles eles têm

Essa essa capacidade de abortar menos potássio que esses esses alimentos mais [Música] tempo né mas novos então isso aí é um fator que contribui positivamente para diminuir o risco de hipocalcemia mas não não é receita de bolo como tudo né como tudo em nesses processos biológicos eu acredito que o um dos melhores

Caminhos a fazer seria pelo menos pelo menos uma vez né quando quando se colhe o material em filas fazer uma análise para ter uma ideia do que que se tem né E aí fica fácil com base nessa composição eu acho que tem tem vários vários técnicos aí que podem podem

Opinar podem minimamente equilibrar uma uma dieta e recomendar para que categoria animal utilizar eu acho que por aí a coisa um ótimo cabelo gostaria de complementar bom é só mais corroborar com isso daí que o Jorge falou assim ó em condições normais para rebanho de leite Vamos

Pensar aqui no Vale do Taquari rebanho de leite de Alto mérito genético acima trinta quilos de leite dia vaca silagem de milho não tem como você fugir disso é laje milho Daí você pode complementar com cereal de inverno pode ótimo muita gente tem feito no Paraná inclusive adicionado silagem de trigo junto com

Suar de milho te dá ótimos resultados tá se lá a gente capim entra bem no que o Jorge falou é a fonte de fibra você tem que garantir FDN fibra fisicamente efetiva para vaca porque quando a gente está trabalhando com silagem de milho a gente não pontuou isso mas o processo de

Ensilagem disponibiliza mais amido ou seja se a vaca consumir a forragem de milho e a selagem de milho especialmente depois de 60 dias de selo fechado o amido tá muito mais disponível aumenta em 10 a 15 unidades percentuais a digestibilidade do amido Então nesse cenário as vacas estão mais propensas

Acidose né ou outras distúrbios metabólicos Então nesse sentido se lá a gente capim Entra muito bem nesse processo como fonte de fibra um pré-cecado também são os três principais pré-secados que a gente tem no país entram muito bem nesse cenário até para permitir trabalhar com menor tamanho de partícula na silagem

Milho que aí eu pulverizando tentando reduzir tamanho de partícula eu vou tentar quebrar mais grão que entra dentro do silo tá então aí eu tenho que trabalhar com essa complementação do silagem capim uma forragem verde um pré-cecado tá e do cereais de inverno a gente nem entrou no mérito até porque é

Muito assunto mas o cereais de inverno te abre duas grandes possibilidades fazer o pré-cecado você vai ter um material mais proteico você consegue pegar a planta no estádio vegetativo Então você tem mais proteína bruta ou faz o corte direto lá no final e você tem um material energético então serial

De inverno te dá muita flexibilidade para trabalhar né além do menor risco agronômico mas assim ó primeiro se lá de milho sorgo muito próximo Aí você tem que trabalhar muito bem quebrando o grão desse material pode complementar com cereais de inverno e daí se lá a gente capim ou pré-cecado

Fonte de fibra e se você tem aí eventualmente uma cana-de-açúcar e vai para outras classes que não aquelas de maior produção tá E só tirando esse dado do gado de leite levar para gado de corte que também é importante dados da dsm tortuga nos em todo dados de confinamento aqui do Estado Os

Confinamentos mais baratos do Estado São aqueles que usam silagem de milho como volumoso porque se reduz o uso de concentrado na dieta desses animais se até produzindo amido na fazenda né então não tem como assim ó são complementares e pode ser utilizados para situações diversas mas essa comparação é ela é

Meio esdrúxula injusta né não tem como comparar muito mas é mais ou menos por aí o que eu acho perfeito Ótimo ótimo pessoal a Andreia Becker Nossa colega que tá aí nos nos Bastidores a qual já agradeço tá nos informando que nós temos representantes de 16 estados brasileiros

Acompanhando a Live né e mais do Paraguai então vocês percebam a amplitude que esse novo modelo né que a pandemia nos trouxe de comunicação né vamos dizer assim que ela falou mais não dava deixado de fazer menção ao pessoal de Canguçu né com certeza com certeza há também queria agradecer já de antemão

A Samanta que a nossa estagiária que tá também fazendo a operacionalização do sistema aí que é uma ajuda fantástica importantíssima né e assim de que coordena a nossa equipe de comunicação Martin é não temos mais perguntas né temos ali alguns agradecimentos gostaria de te ouvir então para que a gente

Pudesse dar o encaminhamento para o final do evento só liga o microfone por favor senão fica melhor como eu não tenho acesso ao chat não consigo ver as perguntas e os comentários né e mas eu espero que e acredito né que essa nossa reunião de hoje tenha agradado a

Todos os participantes dos 16 estados do Paraguai e de Canguçu né tem agradado a todos e a essa as falas dos professores mais mais a tua intermédio aí acredito que tenha sido muito muito prático né Muito fácil muito compreensível para todos que que assistiram então estamos assistindo nesse momento eu saio muito

Satisfeito daqui né Sai muito satisfeito e além de agradecer aos dois professores aqui que intermediasse o nosso nossa nossa conversa para chegar a eles né não conhecia nenhum dos dois né e Eu Fico muito agradecido e acredito que essa essa atingiu E todos foram muito bem atendidos nas suas

Perguntas aí tá Seria isso acredito que o nosso diretor não está mais presente Obrigado Martin Não sei se Jorge e Abel gostaria de fazer mais alguma consideração tá OK da minha parte só só agradecer pela oportunidade nos colocar nos colocar sempre sempre à disposição aí é sempre é muito proveitoso acho que para

Todo mundo poder poder poder trocar ideias aí o Carlos para mim é uma referência um estudioso de silagem então só da gente poder ficar tocando umas ideias aí discutindo e tendo contato com essas dúvidas essas perguntas quer dizer como a gente brinca que a gente só tá em contato com o mundo

Real né a gente precisa precisa receber essas demandas para poder para poder alinhar as nossas as nossas atividades aqui dentro então só só agradecer pela oportunidade bom em relação a colocações mais técnicas nenhuma só Agradecer o convite Sérgio Muito obrigado pela lembrança aí dizer que foi uma satisfação conversar sobre esse tema com

Vocês aí em parceria com Jorge Amigo parceiro de pesquisa então uma satisfações espero que a gente tenha pelo menos ter dado outras possibilidades aí para o pessoal tá Beleza então a gente vai finalizando o nosso Nossa nosso curso nossa reunião técnica é sobre silagem né atendendo Aí uma demanda da Emater

Agradeço mais uma vez a ti Martin por teres procurado Embrapa né uma arte tem sido um dos mais atuantes aí na Inglaterra no nosso ponto de vista uma vez que tem buscado trazer todas essas reivindicações né do dos técnicos dos escritórios municipais que ele não consegue administrar que ele tem buscado

Apoio foi assim lá alguns anos atrás com relação ao uso do Capim né silagem capim para para utilização baseada em cima daquelas demandas como isso Jorge o Jorge orientou trabalhos aqui na universidade aqui na Embrapa e na universidade com a relação da do uso da cidade de Capim envolvidos leiteiros

A gente tiver mais interesse de saber essas publicações existem então aí à disposição né das pessoas quiserem conhecer Eu particularmente Fico muito feliz de poder trabalhar com vocês porque é uma forma que eu tenho de conhecer a tecnologia conhecer a técnica porque vocês dominam esse assunto né o

Jorge a gente já conhece bastante tempo aqui do trabalho da Embrapa e o professor Rabelo agora né do contato com a universidade tive um prazer de ficar de acompanhar um semestre da disciplina dele na pós-graduação e isso abre caminhos para que a gente possa conhecendo as pessoas sabendo como que a

Gente pode ajudar quando as dúvidas surgem né e o detalhe importante né que às vezes a gente não não valoriza né quando o palestrante ele não tem custo né porque o cara não vai cobrar nada né não Eles não cobram nada Pessoal o pessoal aqui atende de bom grado né

Para nós é isso também é importante né fazer uma divulgação de de tecnologias de conhecimentos né sem custo nenhum então muito obrigado a todos vocês aí eu fico muito feliz de poder ter atendido né a vocês a Embrapa né no seu 50 anos né procura cada vez mais mostrar

A importância do trabalho que é feito na pesquisa em parceria né vocês que acompanharam desde o início viram o vídeo o vídeo fala muito da parceria com as Universidades com as empresas né com a extensão Rural e esse é um exemplo né daquilo que a gente vem buscando ao

Longo desses 50 anos os canais de comunicação da Embrapa estão à disposição André Becker colocou aí no chat todos eles né agradecemos mais uma vez e até uma próxima oportunidade se Deus quiser um abração grande abraço a todos Obrigado pela participação

Patrocinadores

5 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here